quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Acontigus comemora 1 ano de atividades na cidade de Garanhuns

A ACONTIGUS vem promovendo a integração social a 1 ano, através de sua associação que promove eventos de solidariedade, de cidadania,de integração social, junto com seus associados da melhor idade.


Durante o evento foram entregues Certificados de Socios Beneméritos a alguns membros da nossa sociedade por seus relevantes serviços prestados. Maria Eugenia recebe das mãos da presidente da ACONTIGUS ; Ana Silvestre o seu certificado de Socia Benemérita.



 Jornalista do Jornal Cidade e  deste Blog Walderia Santana , recebendo seu certificado de socia da ACONTIGUS.

Conhecimento é vida!!!!



Em São Paulo os Novos Pernambucanos

 
Núria Mallena, Charles Teony Araújo, Andrea Amorim e Sambê!!!

A Biblioteca e os Desafios da Leitura

GARANHUNS – Rede Municipal de Ensino é Destaque Nacional



Saiu na revista VEJA: Rede Municipal de Ensino de Garanhuns está entre as que mais melhoraram o seu IDEB – Índice de Desenvolvimento da Educação Básica no Brasil. A educação municipal de Garanhuns atingiu a 3ª colocação, após obter desempenho satisfatório referente ao ano letivo de 2011, com melhora de 42%, percentual referentes ao período de 2007 a 2011. A informação pode ser conferida pela recente edição da revista Veja, página 114. O exemplar está à venda nas bancas em todo o País.

Fruto do trabalho sistemático realizado na educação municipal, Escolas como a Luiz Tenório de Carvalho, bem como a Jaime Luna, foram às instituições de maior destaque na avaliação, uma vez que alcançaram pontuações de 5,5 e 4,1, respectivamente. O Município atingiu índice de 3,4, referente aos anos finais, que vão do 6º ao 9º ano. Foram avaliadas as 26 escolas que compõem a Rede Municipal de Ensino.

O IDEB avalia a qualidade do Ensino Básico nas séries iniciais e finais, para medir a qualidade da educação no Brasil. A aprovação e média de desempenho dos estudantes em língua portuguesa e matemática são os conceitos mais importantes para a qualidade da educação. Que para tanto, são calculados a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no Censo Escolar, e médias de desempenho nas avaliações do INEP - um Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB); além da Prova Brasil.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Dom Helder Câmara saudades de sua voz

 
Ficamos orfãos de um grande lutador pela paz, pela vida, pela democracia, bradava pela liberdade de expressão! A saudade de sua partida, 13 anos sem a sua cara nesta luta pela qualidade de vida , um bravo guerreiro, se vivo estivesse, estaria bravamente na luta pelo combate contra  a corrupção no Brasil.

Atletas para se observar nos Jogos Paralímpicos

 
Os Jogos Paralímpicos de 2012, que vão começar nesta quarta-feira (29), verão mais de 4.200 homens e mulheres de 160 países em Londres para a disputa de 503 eventos em 21 esportes distintos. A competição recebe atletas com deficiências, sejam elas de mobilidade, causadas por amputações, cegueira e paralisia cerebral para 12 dias de muita ação. Por isso, o MSN preparou uma relação de atletas para se ficar de olho em Londres-2012!

Oscar Pistorius (África do Sul)
De volta às Paralimpíadas, um dos mais reconhecidos e falados atletas do planeta: o multi recordista e cinco vezes medalhista de ouro paraolímpico, o sul-africano Oscar Pistorius. Depois de várias controvérsias e resistências que prejudicaram no início de sua carreira, Pistorius fez história por ser o primeiro amputado a competir nas Olimpíadas convencionais, encerradas em 12 de agosto. Lá, ele alcançou as semifinais dos 400 m e também as finais do revezamento 4 x 400 m. Para estes Jogos, ele alinhará no revezamento 4 x100 m e defenderá o título dos 100 m livre, categoria T44, em um dos eventos mais emocionantes da competição

Michael McKillop (Irlanda)
O irlandês já fez história no Estádio Olímpico de Londres antes dos Jogos Paralímpicos de 2012:em maio, ele foi o primeiro atleta a estabelecer um recorde mundial no local recém inaugurado, nos 1500 m T37. Com sequelas 'leves' por conta de uma paralisia cerebral, ele volta para Londres para vencer nos 800 m e novamente nos 1500 m do T37
.
Natalia Partyka (Polônia)
Após competir nas Olimpíadas, há pouco menos de um mês, Natalia busca uma medalha no tênis de mesa. Ao lado de Pistorius, a polonesa é a única a competir nas duas edições dos Jogos, feito que ela também havia alcançado em 2008. Embora ela ainda não tenha uma medalha Olímpica, Natalia surgiu com um ouro em simples e a prata por equipes nas Paralimpíadas de 2004 e 2008.
 
Aaron Phipps (Grã-Bretanha)
Aos 29 anos, Aaron vai fazer sua estreia nas Paraolimpíadas na seleção britânica de rúgbi em cadeira de rodas. Biamputado após sofrer com meningite quando era adolescente, Phipps é um ex-velocista na cadeira de rodas. Ele se tornou membro assíduo de sua seleção nos últimos três anos
 
Esther Vergeer (Holanda)
Uma combinação de 42 títulos de simples e duplas em Grand Slams, cinco medalhas olímpicas, invencibilidade de 465 jogos de simples e número um do ranking desde abril de 1999. A lista de feitos de Esther Vergeer parece que nunca será igualada por nenhum outro esportista e que, de forma justa, a eleva como a maior jogadora de tênis em cadeira de rodas da história. A técnica soberba da estrela holandesa será exibida novamente nestas Paralimpíadas, onde ela vai competir pela quarta medalha em simples.
 
Hannah Russell (Grã-Bretanha)
A deficiente visual fará seu debute nos Jogos Paralímpicos com apenas 16 anos, competindo em cinco provas: 50, 100 e 400 m livre, 100 m borboleta e 100 m costas, na categoria S12. Com um bronze e uma prata no último Europeu, Hannah espera repetir o sucesso da compatriota Ellie Simmonds em Pequim-2008
 
 
Chen Liangliang (China)
Ele foi um dos heróis chineses na vitória sobre a Lituânia na final do Goalball (esporte destinado a pessoas cegas ou com deficiência visual) dos Jogos Paralímpicos de Pequim-2008, quando sua equipe reverteu uma desvantagem de dois gols para 9 a 8 e conquistou o ouro. A China espera repetir tal conquista em Londres
Terezinha Guilhermina (Brasil)
Dona de três medalhas em Pequim-2008 (ouro prata e bronze), a velocista mostrou que vem forte para melhorar o desempenho em Londres. Pouco menos de dois meses antes das Paralímpíadas, ela quebrou o recorde mundial nos 200 m T11, com 24s60, baixando sua própria marca (24s67). Além do novo recorde na especialidade que lhe deu a medalha dourada quatro anos atrás, ela também detém recordes mundiais nos 100 e 400 m rasos. Mineira, Terezinha sofre de retinose pigmentar, que lhe tirou a visão gradualmente ao longo dos anos. Com 33 anos, já foi eleita a atleta paralímpica do ano em 2006
 
 
Futebol de 5 (Brasil)
Se o futebol olímpico ainda não proporcionou nenhuma medalha dourada, o futebol paralímpico de 5 - adaptação do esporte para atletas cegos - é uma verdadeira potência nos Jogos. Desde que foi disputado pela primeira vez, em Atenas, o Brasil nunca perdeu uma partida e acumula dois ouros. Além do retrospecto, a equipe verde e amarela é a atual tricampeã mundial na modalidade. Em Londres, o Brasil alinha no Grupo B, ao lado de França, Turquia e China
 
 
André Brasil (Brasil)
Outro multi medalhista da natação, André trouxe quatro ouros e uma prata de Pequim-2008. Em Londres, disputará oito diferentes provas: 50, 100 e 400 m livre,200 m medley, 100 m borboleta e 100 m costas ( nas categorias S10 e SM10), além dos revezamentos 4 x 100 m livre e medley. Ele sofreu paralisia infantil (poliomielite) nas pernas por conta de uma reação vacinal
 
Antônio Tenório (Brasil)
Aos 40 anos, o judoca é outra referência nos esportes paralímpicos do Brasil. Ele chega a Londres para a tentativa de conquista de sua quinta medalha de ouro seguida no judô. Por conta de um acidente onde uma mamona atingiu seu olho após ser disparada por um estilingue, Tenório perdeu a visão do lado esquerdo, aos 7 anos. Aos 19, uma infecção deteriorou a visão direita, deixando-o completamente cego. Ele já praticava o esporte quando enxergava e viu nele uma chance de se sobressair com a sua deficiência, estreando nos Jogos em Atlanta-1996. Para 2012, disputa a categoria B1, até 100 kg
 
Clodoaldo Silva (Brasil)
Um dos ícones da história do esporte paralímpico nacional, Clodoaldo defende o Brasil desde Sydney-2000 e acumula nada menos do que 12 medalhas: seis ouros, quatro pratas e dois bronzes. Potiguar de Natal, ele sofre de paralisia cerebral decorrente da falta de oxigênio durante seu nascimento. A trajetória vitoriosa de Clodoaldo tem um projeto que contará sua vida em um filme: 'Clodoaldo Silva - O tubarão das piscinas'
 
Daniel Dias (Brasil)
Porta-bandeira da delegação paralímpica, o nadador (centro) foi apontado pelo presidente do Comitê Paralímpico Internacional (IPC), Phillip Craven, como uma das possíveis estrelas desta edição dos Jogos. Em Pequim-2008, o brasileiro conquistou nada menos que quatro medalhas de ouro, quatro de prata e uma de bronze e pode ser tornar o maior medalhista nacional, já que disputará oito provas nesta edição

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Poema de Drummond

 
Os Ombros Suportam o Mundo
 Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.
 Tempo de absoluta depuração....

Tempo em que não se diz mais: meu amor.
 Porque o amor resultou inútil.
 E os olhos não choram.
 E as mãos tecem apenas o rude trabalho.
 E o coração está seco.
 Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.
 Ficaste sozinho, a luz apagou-se,
 mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.
 És todo certeza, já não sabes sofrer.
 E nada esperas de teus amigos.
 Pouco importa venha a velhice, que é a velhice?
Teus ombros suportam o mundo
 e ele não pesa mais que a mão de uma criança.
 As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios
 provam apenas que a vida prossegue
 e nem todos se libertaram ainda.
 Alguns, achando bárbaro o espetáculo
 prefeririam (os delicados) morrer.
 Chegou um tempo em que não adianta morrer.
 Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
 A vida apenas, sem mistificação.

Drummond

Ministro amigo perdoa as roubalheiras de João Paulo

João Paulo participou de homenagem a Lewandowski

estadão

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, que votou pela absolvição de João Paulo...

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, que votou pela absolvição de João Paulo Cunha (PT) no processo do mensalão, foi homenageado em 2007 pela Prefeitura de Osasco, cidade administrada pelo PT e onde o deputado e réu no caso disputa a eleição municipal deste ano.
Lewandowski foi capa da revista "Expressão Jurídica", editada pela Secretaria de Assuntos Jurídicos da cidade,
que é administrada pelo petista Emídio de Souza, que apoia a candidatura de João Paulo. No dia 20 de abril daquele ano, houve uma cerimônia no Centro de Formação Continuada dos Profissionais da Educação na cidade para divulgação da primeira edição da revista, que trazia uma entrevista com Lewandowski. No evento, João Paulo dividiu a tribuna de honra com o ministro.
"Está é uma homenagem que o município presta não somente a mim, mas também ao judiciário brasileiro. A revista tem uma proposta inovadora e ousada. Estamos empenhados em garantir os direitos fundamentais, e para isso agora contamos com mais uma ferramenta", falou Lewandowski à época, segundo o portal de notícias oficial da cidade de Osasco.
Lewandowski tem amigos no PT, como o prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, que homenageou a mãe do ministro ao batizar uma escola com o seu nome.

Em Recife, PT pede impugnação de candidatura do PSB

O clima entre o PT e o PSB na disputa pela Prefeitura do Recife esquentou de vez. Na tarde desta terça, os advogados...

Estadão


O clima entre o PT e o PSB na disputa pela Prefeitura do Recife esquentou de vez. Na tarde desta terça, os advogados da coligação que reúne PP, PT, PSDC e PHS, encabeçada pelo senador Humberto Costa (PT), entrou com uma ação junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) solicitando a impugnação da candidatura do socialista Geraldo Júlio.
 
A alegação de abuso de poder econômico tem como base a denúncia de que o governo do Estado, comandado pelo padrinho político de Geraldo, o governador e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, estaria utilizando a propaganda institucional de forma "casada" com a publicidade da campanha municipal, com a intenção de confundir o eleitor. Na ação os advogados afirmam que "salta aos olhos o descaramento dos que cometeram esse tipo de atitude.
 
Utilizar a máquina pública em benefício de qualquer candidato é ato que influencia o resultado do pleito e deve ser coibido imediatamente pelo Judiciário com a aplicação das penalidades cabíveis". A representação toma como base o artigo 73 da Lei 9.504/97, que trata do comportamento dos agentes públicos nos pleitos eleitorais, proibindo certas condutas para evitar que a igualdade de oportunidades entre candidatos seja afetada. A Assessoria de Imprensa de Geraldo Júlio afirmou que não iria se pronunciar até ser oficialmente notificada. A Secretaria de Imprensa do governo estadual também foi procurada, mas alegou que só irá se pronunciar após conhecer o conteúdo da ação.

Nesta quarta-feira começa a Jornada Sebrae em Calçado

A Jornada Sebrae 2012, em Calçado, será realizada da tarde desta quarta-feira (29) à noite de quinta-feira (30). O evento pretende capacitar e orientar principalmente quem deseja montar o próprio negócio (o chamado ‘empreendedor individual’ que pode faturar até R$ 60 mil ao ano), mas também tem serviços para micro e pequenas empresas (futuras ou já existentes no município).

Além disso, os participantes serão atendidos por especialistas do ramo de negócios e poderão se cadastrar no Portal do Empreendedor, garantindo a formalização, e também poderão realizar a declaração anual do imposto de renda. Os atendimentos e palestras serão realizadas na Escola Municipal Maria Célia Barros Melo, situada à Rua Radialista Pajeú.

As inscrições iniciaram nesta terça-feira (28), mas seguem abertas nos dois dias da Jornada Sebrae, na escola citada. Os interessados devem levar o CPF.

Confira a programação
Quarta- feira – Dia 29
14h às 16h – Empreendedorismo- Empreendedor Individual
19h às 20h –Empreendedorismo - Empreendedor Individual

Quinta-feira – Dia 30
14h às 16h –Entendendo custos, despesas e preço de venda - Empreendedor individual
19h às 20h –Entendendo custos, despesas e preço de venda - Empreendedor individual.

Serviço
Informações pelo 0800.570.0800 – Segunda a sexta-feira, 8h às 20h
Unidade Sebrae Garanhuns – (87) 3762-1752 – Segunda a sexta-feira, 8h às 17h.

Projeto Recicla PE será apresentado no seminário ReciclaRIO
A experiência do Projeto Recicla Pernambuco será apresentada pelo coordenador da Unidade de Gestão de Projetos de Resíduos Sólidos, engenheiro Bertrand Sampaio de Alencar, no ReciclaRIO– 4º Seminário Arerj/Sindieco e IMA-UFRJ, que acontecerá na próxima quinta-feira (30), no Centro de Tecnologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), no Rio de Janeiro. O Recicla PE se destina a implantar intervenções sócio-ambientais em municípios da Mata Sul Sirinhaém, Rio Formoso, Tamandaré e Gameleira, Escada, Primavera, Ribeirão, Amaraji, Cortês e Ribeirão, Agreste (Garanhuns) e Sertão (Arcoverde e Serra Talhada), especificamente relacionadas à gestão e operação na área de resíduos sólidos; oportunizar as potencialidades existentes em termos dos projetos elaborados e da infra-estrutura física e operacional implantada; e fortalecer os pontos mais fracos relacionados, com rebatimento direto nos problemas sociais, econômicos e ambientais decorrentes da ausência de um modelo de gestão adequado e consorciado dos resíduos sólidos nestas regiões do Estado.
O evento servirá para a promoção do debate e da discussão dos temas mais relevantes para o setor da reciclagem no País. É um seminário anual, que tem como objetivo reunir a sociedade com os setores empresarial, acadêmico e governamental, em busca de ideias, soluções e inovações para o desenvolvimento da reciclagem e consolidação da sustentabilidade. É organizado pelo Sindicato das Empresas Despoluidoras do Ambiente e Gestoras de Resíduos do Estado do Rio de Janeiro (Sindieco) e Associação dos Recicladores do Estado do Rio de Janeiro (Arerj), em parceria com o Instituto de Macromoléculas Professora Eloisa Mano (IMA) da UFRJ.https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif
A programação terá início às 8h30. Pela manhã, serão abordados temas como: “Inovações e Perspectivas após a Rio + 20”, “O Legado da Rio + 20 para o Brasil”, “Empresas recicladoras no Estado do Rio de Janeiro” e “Pesquisa e Produção Científica em Tempos de Sutentabilidade”.
À tarde, o tema será “Desafios do Poder Público para a Implementação da Plano Nacional de Resíduos Sólidos”, com a participação de Bertrand Sampaio (Itep) e outros palestrantes, como Karin Segala, coordenadora de Projetos do Ibam; Carlos Minc, secretário de Meio Ambiente do Rio de Janeiro; Carlos Muniz - vice-prefeito do Rio de Janeiro; Carlos Osorio, secretário de Conservação; o professor Gonçalo Guimarães (UFRJ); Robson Borges, da Cooperativa Eu Quero Liberdade; e José Penido, assessor da Diretoria Técnica e Industrial Comlurb.
Participarão do evento pesquisadores, professores e estudantes; empresários do setor de reciclagem e transformação; industriais, técnicos e especialistas das áreas de reciclagem; dirigentes, gerentes e profissionais das áreas de meio ambiente e sustentabilidade; lideranças dos setores públicos, privado e da sociedade civil organizada; e agentes ambientais, cooperativas de catadores e representantes do Terceiro Setor.

Café com Poesia do Sesc Garanhuns discute obra de Graciliano Ramos

A partir das 19h30 desta terça-feira (28), o Sesc Garanhuns realiza mais uma edição do Café com Poesia, que terá como temática “Viagem ao Mundo de Graciliano Ramos”. Os escritores convidados para este encontro são Pedro Américo de Farias e Marcelo Mário de Melo, com participação do músico Leo Noronha. O evento é gratuito e aberto ao público, e acontece no Salão de Eventos do Sesc Garanhuns.


SOBRE OS ESCRITORES:
Marcelo Mário de Melo é jornalista, nasceu em Caruaru e veio para o Recife com nove anos de idade. Escreve poemas, histórias infantis, mini-contos e textos de humor. É Assessor de Comunicação Social da Fundação Joaquim Nabuco, Recife-PE, entidade vinculada ao Ministério da Educação. Colabora com artigos na secção Opinião do Jornal do Commércio. Edita e produz textos jornalísticos, publicitários e políticos. Eventualmente participa de bancas examinadoras na UFPE e na UNICAP, Graduação em jornalismo impresso. Dá cursos de expressão oral e escrita e iniciação à linguagem poética.

Publicou: Os Quatro Pés da Mesa Posta (poesia), Manifesto Masculinista(humor), Entre Teias e Tocaias (perfil parlamentar de David Capistrano/pai, ex-deputado de Pernambuco e desaparecido político a partir de 1973), Manifesto da Esquerda Vicejante Mais Textos e Poemas, Perfil Parlamentar de Josué de Castro, Folhetos de Cordel - A História do Poeta que Sonhava Ser Bancário; Por que, Porquê, ...Porque, Porquê - Vamos Aprender a Usar, entre outros. Participa de diversas antologias poéticas.

Na década de 80, no Recife, foi redator e editor do jornal O Povão, participou da fundação da Equipe de Comunicação Sindical - Ecos, exercendo a chefia de redação, e atuou no tablóide O Rei da Notícia com artigos e entrevistas.

..................................................................................................................................................................................................................................

Pedro Américo de Farias é de Ouricuri – PE. Escreve e diz poesia, ensaia prosa crítica e ficcional. Licenciado em Letras, pós-graduado em Educação de Adultos. Concebe e desenvolve projetos editoriais, entre os quais se inclui o do Festival Recifense de Literatura - A letra e a voz - e trabalha com oficinas de Leitura em voz alta de poesia. É funcionário da Fundação de Cultura Cidade do Recife.


Publicações: Poesia – Livro sem título (1973), Conversas de pedra (1981), Picardia (1994).

A edição de seu livro mais recente — LINGUARAZ (Recife: Edição do autor, 2009), com o apoio da FUNCULTURA/ FUNDARPE do Governo de Pernambuco é digna de admiração. Singelo e belo livro, com projeto gráfico de Gilmar Rodrigues, desenhos de Victor Zalma, capa dura, acompanhado de um CD.
ESPERAMOS POR VOCÊS

UAG promove II Intercâmbio entre Núcleos de Agroecologia da UFRPE



A Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), através da Unidade Acadêmica de Garanhuns (UAG), por intermédio do Núcleo de Agroecologia, promoverá o II Intercâmbio entre Núcleos de Agroecologia da Universidade. O evento acontecerá nos dias 30, 31 de agosto e 1º de setembro de 2012, na UAG.

Este Intercâmbio envolve o Projeto AGROFAMILIAR ? Rodas de Debate e Núcleo de Estudo, Pesquisa e Extensão em Agroecologia e Agricultura Familiar e Camponesa, da UAG/UFRPE, coordenado pela professora Horasa Andrade; o NEPPAS - Núcleo de Estudos, Pesquisas e Práticas Agroecológicas do Semiárido, da UAST/UFRPE, coordenado pela professoa Laetícia Medeiros Jalil; e o NAC - Núcleo de Agroecologia e Campesinato, coordenado pela professora Maria Virgínia de Almeida Aguiar.

A programação está composta por rodas de diálogo, relatos de experiências, mesas redondas, visitas de intercâmbio a experiências agroecológicas da região, apresentação culturais, entre outras atividades, explica a professora Horasa.
Ainda de acordo com a coordenação do Intercâmbio, estão disponíveis 20 vagas para alunos e 20 vagas para professores da UFRPE/UAG, que podem realizar suas inscrições mediante o e-mail: agrofamiliar@ymail.com

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Projeto Sonora Brasil SESC



 Traz a Garanhuns "Gilberto Monteiro" , compositor Gaúcho.
A Apresentação será no dia 29 de agosto, quarta-feira, a partir das 20h00
Local: SESC Garanhuns | Entrada Franca.
"A atração principal desta etapa do projeto é o músico Gilberto Monteiro, que toca a gaita-ponto, também conhecida como fole de 8 baixos, que se assemelha ao acordeom. Nascido no extremo Sul do país, na cidade de Santiago (RS), o instrumentista será acompanhado na turnê pernambucana por Eduardo Cantero, no violão, e Fernando Gorrie, na percussão.
Considerado um dos mais importantes músicos gaúchos, o compositor oferece uma oportunidade rara no Nordeste de conhecer a gaita-ponto, que também sofre com a falta de artista que a utilizem. Músicas como Milonga para as missões, Pra ti guria e De lua e sol são algumas das composições executadas mundo afora e que fazem parte do repertório da turnê."

Oficinas de Artes na Torre Malakoff

Recife recebe oficina de artes visuais na Torre Malakoff


Encontro será ministrado pelo artista multimídia Edson Barrus

A caravana de intercâmbio e formação de conteúdo do programa Desafios Contemporâneas chega no Recife esta semana e apresenta de 27 e 31 de agosto a oficina "O fazer artístico sob o ponto de vista da reflexão dos seus aspectos específicos", na Torre Malakoff. O encontro será ministrado pelo artista multimídia Edson Barrus.

O intuito da oficina é analisar portfólios e materiais que possibilitem visualizar a produção do artista
O programa Desafios Contemporâneas já realizou oficinas nas capitais do Sergipe e Ceará, e ainda irá percorrer os estados da Paraíba, Alagoas, Rio Grande do Norte e Bahia. Ao todo serão 27 oficinas práticas/teóricas realizadas este ano.

Serviço
Desafios Contemporâneos 2012
Oficinas de artes visuais
O fazer artístico sob o ponto de vista da reflexão dos seus aspectos específicos, com Edson Barrus
Quando: 27 a 31 de agosto de 2012participante, como sites, blogs, fotografias e textos.

O programa Desafios Contemporâneas já realizou oficinas nas capitais do Sergipe e Ceará, e ainda irá percorrer os estados da Paraíba, Alagoas, Rio Grande do Norte e Bahia. Ao todo serão 27 oficinas práticas/teóricas realizadas este ano.

Serviço
Desafios Contemporâneos 2012 Oficinas de artes visuais
O fazer artístico sob o ponto de vista da reflexão dos seus aspectos específicos, com Edson Barrus
Quando: 27 a 31 de agosto de 2012
Onde: Torre Malakoff (Praça do Arsenal da Marinha s/n° - Bairro Recife Antigo - Recife - PE)
Informações: (81) 3424-8704

Queda do Ideb em algumas cidades enrriquece prefeitos

Nas cidades com a maior queda no Ideb, prefeitos multiplicaram patrimônios

Correio Braziliense

Não é apenas o péssimo desempenho de alguns municípios brasileiros na mais recente avaliação sobre a qualidade do ensino médio que envergonha os brasileiros. Um cruzamento feito pelo Correio comparando os dados do Ministério da Educação (MEC) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostra que, em boa parte deles, enquanto o ensino público despencou, o patrimônio dos prefeitos — boa parte deles de olho na reeleição — ascendeu. E não são números isolados: das 30 cidades onde o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) registrou as maiores quedas, comparando-se os resultados de 2011 com os de 2009, em 20 delas os atuais prefeitos ou vice-prefeitos são candidatos nas eleições de outubro.

Em 14 desses municípios, os políticos aumentaram os respectivos patrimônios. “O Congresso Nacional precisa aprovar uma lei de responsabilidade educacional para evitar a má aplicação dos recursos e punir os gestores que não cumprirem as metas”, defendeu o professor da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília (UnB) Célio da Cunha.

As histórias absurdas se multiplicam, como os recursos nas contas bancárias dos administradores públicos. Com 14 mil habitantes e distante 446km de Salvador, Glória (BA) foi reprovada na avaliação de qualidade do ensino medido pelo MEC. O município, que se orgulha das festas populares locais, faz parte da lista de mais de 900 cidades brasileiras que viram piorar o desempenho dos alunos da rede municipal no ensino fundamental. Mas, na contramão da qualidade educacional, os moradores também viram o fenômeno da multiplicação do patrimônio da prefeita, Ena Vilma Pereira Negromonte (PP), mulher do ex-ministro das Cidades Mário Negromonte (PP-BA), que reassumiu o mandato na Câmara.

Bumba meu Boi é Patrimônio Cultural Nacional

Bumba-meu-boi receberá certificação de Patrimônio Cultural do Brasil

Em 2007, a mesma certificação foi concedida ao tambor de crioula

O Imparcial

O bumba meu boi, significativa manifestação cultural do país, receberá na próxima sexta-feira, a certificação do título de Patrimônio Cultural do Brasil. A cerimônia ocorrerá durante o 2º Fórum Bumba meu boi do Maranhão: Patrimônio Cultural do Brasil, às 17h, no Teatro Alcione Nazaré, no Centro de Criatividade Odylo Costa, filho, na Praia Grande.

De acordo com Kátia Bogea, superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Maranhão, a certificação pode ser considerada um presente para São Luís, que completa 400 anos, no dia 8 de setembro. Há cerca de um ano a manifestação já havia conquistado o registro que foi aprovado pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural durante reunião na sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em Brasília. Esta não é a primeira vez que uma manifestação do Maranhão recebe o título de Patrimônio Cultural do Brasil. Em 2007, a mesma certificação foi concedida ao tambor de crioula.

Mensalão: o relator vai responder ao revisor que tentará tréplica

por Carlos Fehlberg


Polêmica instalada no STF e ministro alerta para um possível atraso no julgamento

Polêmica: Lewandowski X Barbosa
O julgamento do mensalão vive um dos seus momentos polêmicos, levando o ministro Marco Aurélio Mello a alertar para o fato de que, continuando no ritmo atual, ele poderá não terminar até o fim do ano: “hoje o plenário é um tribunal de processo único, e temos aguardando na fila a pauta dirigida, cerca de 800 processos", advertiu. A causa: na sessão de quinta, Ricardo Lewandowski divergiu do relator, ministro Joaquim Barbosa, e votou pela absolvição do ex-presidente da Câmara dos Deputados João Paulo Cunha. E logo após a leitura do voto, Barbosa pediu ao presidente do Supremo que seja concedido a ele direito de “réplica”, para rebater o voto do revisor.

Lewandowski, então, solicitou direito a “tréplica”, a fim de responder às considerações do colega. Para Marco Aurélio, relator e revisor não deveriam "disputar" espaço na apresentação de seus votos. "Não deve haver disputa. No plenário, nós não somos partes. Simplesmente atuamos como juízes e devemos fazê-lo sem sucumbir a certas paixões." E ainda foi além admitindo a possibilidade de empate no julgamento, já que o ministro Cezar Peluso se aposenta no dia 3 de setembro, ao completar 70 anos. Com a ausência dele, o STF ficará com dez ministros até que a presidente Dilma Rousseff indique o substituto. Pelo andamento do julgamento, Peluso só conseguirá participar da decisão se adiantar o voto, o que ainda não foi discutido pelo plenário.

Marco Aurélio, ministro do STF: "Não deve haver disputa. No plenário, nós não somos partes. Simplesmente atuamos como juízes e devemos fazê-lo sem sucumbir a certas paixões."

CPI esquenta
Enquanto setores da oposição acompanham com especial interesse o julgamento do mensalão, a CPI do Cachoeira pode ter uma semana movimentada se confirmados os esperados depoimentos de dirigentes da Delta. E tudo isso também em meio a uma campanha eleitoral já desencadeada pela TV e Rádio. No STF uma surpresa, diante da divergência entre os ministros relator e revisor no julgamento que envolve o deputado João Paulo Cunha, mas que não reduz o interesse pelos dois depoimentos mais aguardados na CPI do Cachoeira: o ex-diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antônio Pagot e o dono da empreiteira Delta, Fernando Cavendish. São os dois depoimentos mais aguardados desde que a CPI do Cachoeira retomou os trabalhos, após o recesso parlamentar.

 A convocação do presidente da Delta foi pedida por 11 requerimentos assinados por 14 parlamentares. Fernando Cavendish já impetrou habeas corpus com pedido de liminar para não comparecer à reunião. Os outros dois convocados pela CPI são o empresário Adir Assad e o ex-diretor da Dersa, estatal responsável por obras viárias em São Paulo, Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, acusado de atuar junto ao DNIT em busca de recursos para a campanha de José Serra à Presidência da República. Ele deve depor na quarta-feira.

Relatório paralelo
A dois meses do fim do prazo estabelecido para a CPMI do Cachoeira, o PSDB pretende oferecer um relatório paralelo ao do relator, deputado Odair Cunha. E isso com o objetivo de pressionar o relator a ampliar o foco da CPMI e investigar as empresas fantasmas que receberam repasses suspeitos. O senador Álvaro Dias, líder do PSDB no Senado, explica que a decisão de fazer um relatório paralelo foi tomada porque a bancada avalia que há orientação política na condução dos trabalhos da CPMI, "que quer limitar as investigações ao estado de Goiás". O deputado Carlos Sampaio diz que, se houver uma mudança de postura da direção da CPMI, seu partido poderá até apoiar o relatório oficial da comissão, suspendendo o relatório paralelo. Mas para o vice-presidente da CPMI, deputado Paulo Teixeira, a iniciativa do PSDB é uma tentativa de excluir do relatório final as pessoas que são “caras” ao partido.

Reforço em SP
Com o aval do ex-presidente Lula a, a presidente Dilma Rousseff teria convencido a senadora Marta Suplicy a participar da campanha de Fernando Haddad à sucessão da prefeitura de São Paulo. A participação de Marta Suplicy será definida neste início de semana, quando almoçará com o ex-presidente Lula, na capital paulista. Hadad considera o apoio de Marta Suplicy como importante para a sua campanha eleitoral e disse que espera a presença também de Dilma Rousseff em seu palanque eleitoral.

Luiz Henrique, nada de acordo
Código Florestal
A poucos dias para a reunião que vai analisar as emendas apresentadas à MP que altera o novo Código Florestal, o relator na comissão, senador Luiz Henrique da Silveira não tem ainda um acordo em torno da proposta. A reunião para análise das emendas está marcada para a manhã desta terça-feira. Um dos principais problemas foi a aprovação de uma emenda que acaba com a necessidade de preservação permanente nos rios não perenes. A emenda contraria os interesses do governo e, por isso, a análise dos demais 34 destaques que ainda faltam foi adiada em busca de um acordo. A ideia partir do relator em reunião no Palácio do Planalto, após as emendas terem sido aprovadas. Segundo o relator, a bancada governista vai trabalhar para retirar a emenda que acaba com a necessidade de preservação permanente nos rios não perenes. O senador admite que ainda não existe um acordo. O governo colocou seus pontos e deixou claro que é preciso extrair a expressão 'perene'. Se não conseguirmos um acordo vamos para o voto. E aí, a presidente Dilma Rousseff vai decidir o que veta e o que não veta da medida”, disse o senador.

Ministro adverte: julgamento corre risco de não terminar este ano
Outra preocupação é o possível empate, se Peluzo se aposentar antes da votação

"As discussões tomarão tempo"
Um alertamento do ministro Marco Aurélio Mello, feito no fim de semana: se continuar no ritmo atual, o julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal poderá não terminar até o fim do ano. E advertiu: "Eu já receio que não termine até o fim do ano. Hoje, o plenário é um tribunal de processo único, e temos aguardando na fila a pauta dirigida, cerca de 800 processos".

Depois do ministro-revisor do processo, Ricardo Lewandowski, que deverá ter uma réplica do ministro-relator, Joaquim Barbosa, os demais ministros começarão a votar sobre o primeiro item. Logo depois, o relator, ministro Joaquim Barbosa e o revisor, Lewandowski apresentarão suas posições com relação aos outros seis itens e serão seguidos dos votos dos outros ministros.

Atento o ministro Marco Aurélio reafirma sua preocupação: “pelo visto, as discussões tomarão um tempo substancial. Elas se mostram praticamente sem baliza. Nós precisamos racionalizar os trabalhos e deixar que os demais integrantes se pronunciem. Vence num colegiado judicante, que julga, a maioria".


Marco Aurélio Mello: " No plenário, nós não somos partes. Simplesmente atuamos como juízes e devemos fazê-lo sem sucumbir a certas paixões."

No seu entender não deveria ser concedida “réplica” e “tréplica” a revisor e relator. Lewandowski divergiu do relator e votou pela absolvição do ex-presidente da Câmara dos Deputados João Paulo Cunha. Mas logo após a leitura do voto, Barbosa pediu ao presidente do Supremo que seja concedido a ele direito de “réplica”, para rebater o voto do revisor. Lewandowski, então, solicitou direito a “tréplica”. Para Marco Aurélio, relator e revisor não devem "disputar" espaço na apresentação de seus votos. "Não deve haver disputa.

No plenário, nós não somos partes. Simplesmente atuamos como juízes e devemos fazê-lo sem sucumbir a certas paixões." No seu entender deve ser buscada celeridade e conteúdo: "Não dá para falar em réplica ou tréplica. O colegiado é somatório de forças. Nós nos completamos mutuamente. Deixemos os demais integrantes se pronunciarem", ponderou.

Outra preocupação envolve um empate possível, pois o que o ministro Cezar Peluso se aposenta no dia 3 de setembro e com sua ausência dele, o STF ficará com dez ministros até que a presidente Dilma Rousseff indique o substituto. A única hipótese de Peluso participar da decisão será adiantando seu voto, hipótese não analisada pelo plenário até agora. E um dado também preocupa: o relator Joaquim Barbosa e o revisor Ricardo Lewandowski já usaram quatro sessões somente para ler seus votos em relação ao primeiro de sete tópicos. .

Lula & Dilma
“Dilma é minha candidata e se Deus quiser, ela será reeleita", é o que disse o ex-presidente Lula em entrevista dada ao repórter Simon Romero, do jornal "The New York Times", na sede do instituto que leva seu nome, e publicada na edição de sábado.

Cardozo irá a audiência pública

Ministro no Senado
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, participará de audiência pública no Senado, no dia 4 de setembro, para debater o projeto do novo Código Penal. O debate será promovido pela comissão especial de senadores que examina texto elaborado por juristas. Além de consolidar num único texto a legislação penal do país, os juristas inovaram em muitos temas, como na previsão de um tipo penal para punir o enriquecimento ilícito e o aumento das penas para a corrupção. A audiência com o ministro da Justiça será a última das três programadas para o debate do projeto com autoridades da esfera jurídica. O prazo para que os senadores apresentem emendas ao projeto do novo Código Penal encerra-se em 4 de setembro, no mesmo dia da audiência.

Em Recife
Eduardo Campos voltou à cena política. Agora o governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, avisa que Belo Horizonte vai ficar fora de seu roteiro na campanha das eleições municipais. Aliás, em Recife, o PSB lançou candidato que se opõe ao senador petista, Humberto Costa.

Mais vereadores
Nas eleições municipais de 2012, serão eleitos 10,4% mais vereadores que em 2008. O aumento no número de vagas nas Câmaras de Vereadores se deve à Emenda Constitucional 58, aprovada pelo Congresso Nacional, e que resultou em 5.390 novas cadeiras nos legislativos municipais, segundo informa a Agência Brasil. A emenda modificou a fórmula de cálculo da quantidade de vagas nos legislativos municipais e estabeleceu que, agora, elas variam de nove cadeiras para cidades com até 15 mil habitantes até 55 cadeiras para municípios com mais de 8 milhões de pessoas. Pelo novo cálculo, apenas cinco municípios tiveram reduzido o número de vereadores que serão eleitos, enquanto 1.695 aumentaram o número de cadeiras. De acordo com o Censo 2010, o país tem 5.564 municípios.

Ação paralela
A dois meses do fim do prazo estabelecido para a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito do Cachoeira, o PSDB admite preparar um relatório paralelo ao do relator, deputado Odair Cunha. Um dos objetivos seria pressionar o relator a ampliar as atenções da CPMI, investigando as empresas fantasmas que receberam repasses suspeitos da construtora Delta.

domingo, 26 de agosto de 2012

Curta Agreste Meridional

Festa de Aniversário da ACONTIGUS -Garanhuns

Festa de Aniversário da ACONTIGUS -Garanhuns


Programação do Dia 30/08/2012
10:30h - Abertura
 Hino de Garanhuns
 Apresentação da Bandeira
 Fala da Presidente

11:00h -
 Composição da Mesa
 Apresentação da História da ACONTIGUS em Slides
 Fala dos participantes da mesa
 Entrega dos títulos de Sócios Beneméritos

12:30h - Será servido almoço para os convidados e sócios.

14:00h–
 Apresentação do grupo de alunos da UPE
 Mesa Redonda com Dr. Franco e Dra. Mirtes (UPE )

15:00 –
 Será cantado o parabéns para ACONTIGUS e servido o bolo.
 Encerramento com músicaao vivo com alunos da UPE

sábado, 25 de agosto de 2012

Explosão em uma das refinarias da Venezuela


Sobe para 26 o número de mortos em explosão em refinaria na Venezuela

Explosão foi provocada por um vazamento de gás.Acidente ocorreu na refinaria de Amuay, maior do país.

Do G1, com agências internacionais

O governo venezuelano informou que já são 26 os mortos em uma explosão ocorrida na madrugada deste sábado (25) na refinaria de Amuay, uma das três que formam o Centro de Refinamento de Paraguaná, o principal da Venezuela e um dos maiores do mundo. O acidente deixou mais de 80 feridos.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Sampainho de Caetés vence no Tribunal Regional Eleitoral

Sampainho tem registro aprovado em Caetés


 Blog do Magno Martins
O candidato à Prefeitura de Caetés (Agreste Meridional, a 252 km do Recife), Sampainho (PSB), recebeu parecer positivo do Tribunal Regional Eleitoral.

Sampainho teve o pedido de registro negado em primeira instância, após decisão da juíza Pollyanna Cotrim, atendendo solicitação do Ministério Público e dos partidos da oposição. A acusação era de que o socialista estaria disputando um terceiro mandato consecutivo, já que no começo de 2009 teve uma passagem pela Prefeitura.

A oposição já anunciou que irá recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral, em Brasília. "Da outra vez eles também ganharam aqui e perderam na capital federal", lembrou o candidato a vice-prefeito pela oposição, Severino Gordo.



Jovem sequestrada foge após passar dois anos sofrendo estupros nos EUA

Menina de 17 teve um filho fruto dos abusos. Mãe do sequestrador teria colaborado com crime

Após buscas, policiais acham filho de jovem abusada por dois anos em Washington Park

WASHINGTON - Uma adolescente desaparecida de 17 anos foi encontrada na noite de quinta-feira após passar dois anos presa em uma casa no vilarejo de Washington Park, no estado de Illinois. A jovem sofria constantes estupros de um rapaz de 24 anos e acabou tendo um filho com ele.

Ela conseguiu fugir e pediu ajuda a autoridades, que vasculharam a casa onde a jovem permaneceu presa. No local, os policias encontraram um menino de dois anos, fruto dos abusos, e prenderam o sequestrador e sua mãe, considerada cúmplice por ajudar no sequestro, segundo o chefe da delegacia local.

A jovem estava desaparecida desde abril de 2010, quando tinha 15 anos. Segundo seu relato, ela tentou fugir do cárcere diversas vezes, mas o sequestrador a perseguia e a obrigava a voltar sob a ameaça de uma arma. Durante a gravidez, ela foi forçada a dar um nome falso ao filho para que pudesse receber tratamento médico em um hospital.

Silvino tem oficializado a sua candidatura em Garanhuns

Tucano tem candidatura confirmada em Garanhuns

do blog do Magno Martins

O candidato à Prefeitura de Garanhuns, Silvino Andrade Duarte (PSDB) teve seu registro aprovado pelo TRE.

O registro de Silvino tinha sido indeferido pelo Juiz eleitoral de Garanhuns, Glacidelson Antônio da Silva, que atendeu solicitação do Ministério Público e de partidos da oposição ligado ao deputado e também candidato à Prefeitura, Izaías Régis (PTB).

"Meus amigos, vencemos a primeira batalha. Acabamos de receber o resultado do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Por seis votos a zero temos o Registro de nossa candidatura consolidado. Quero agradecer a cada um pelas orações, pela força positiva, pelas mensagens de apoio, enfim, pelo sentimento de carinho demonstrado. Muito Obrigado", declarou o tucano, após o resultado.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

CPI pode convocar reunião para decidir sobre a quebra de sigilos


por Carlos Fehlberg
Alvo: as empresas fantasmas que teriam recebido recursos da construtora Delta.

Vital quer reunião administrativa
O senador Vital do Rêgo, presidente da CPI que investiga as relações entre o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, com políticos e empresários, afirmou que poderá convocar para a próxima terça-feira uma reunião administrativa para apreciação de requerimentos de quebras de sigilo. Os parlamentares querem quebrar o sigilo de empresas suspeita de serem fantasmas, que teriam recebido dinheiro da construtora Delta, de acordo com investigações da Polícia Federal. A Delta é suspeita de ter recebido dinheiro de empresas fantasmas ligadas ao esquema do contraventor. Segundo Vital, um pacote de possíveis requerimentos a serem apreciados está sendo analisado pelo relator, deputado Odair Cunha. A análise deve ser finalizada até o começo da próxima semana: “Minha posição é claramente favorável à apreciação de um pacote de requerimentos que identificam as empresas. Temos de ter um cuidado para analisar os requerimentos e saber o que são empresas de fachada. Até segunda-feira devemos ter a definição”, disse o presidente.

Para o deputado Rubens Bueno, a quebra do sigilo das empresas é fundamental para que a CPI possa investigar o braço financeiro do esquema: "Disseram claramente os procuradores que o grupo continua articulado e o desafio é identificar o braço financeiro a partir de possíveis fraudes em licitações e que, enquanto não se sufocar a parte financeira, a organização continuará operando".
Na análise do senador Randolfe Rodrigues, é preciso que a CPI consiga identificar a destinação dos recursos: "No caminho que aponta a investigação dessa CPI, o braço financeiro está em torno da empreiteira Delta. Considero fundamental nós, o quanto antes, na semana que vem, realizarmos uma reunião administrativa para apreciar os requerimentos das empresas laranjas ou de fachada que receberam dinheiro da Delta".

Mais depoimentos
Para a próxima semana, a CPI já tem agendado os depoimentos do dono e ex-presidente da Delta, Fernando Cavendish e do ex-diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) Luiz Antônio Pagot. Este depõe à comissão no dia 28 de agosto e Cavendish no dia 29. Cavendish já ingressou no Supremo Tribunal Federal pedindo para não comparecer à CPI. No pedido de liminar, a defesa de Cavendish alega que o convite para o dono da Delta ir ao Congresso prestar esclarecimentos na condição de testemunha estaria equivocado. Para os advogados, ele é alvo das investigações da CPI que tenta identificar o alcance da influência do grupo de Cachoeira sobre políticos e empresários, e, portanto, não poderia ser obrigado a produzir provas contra si mesmo.

Randolfe Rodrigues: Considero fundamental realizarmos uma reunião para apreciar os requerimentos das empresas laranjas ou de fachada que receberam dinheiro da Delta".

Sem falar
O ex-tesoureiro da campanha do governador de Goiás, Marconi Perillo, Jayme Rincón, ficou calado em depoimento à CPI do Cachoeira na manhã de ontem. Rincón conseguiu um habeas corpus junto ao Supremo Tribunal Federal para não responder às perguntas dos parlamentares. Ele é o atual presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas. E já havia sido convocado outras duas vezes para prestar depoimento aos parlamentares da comissão, mas não compareceu após apresentar atestado médico. Desta vez, ele alegou que foi convocado como acusado e não como testemunha. O habeas corpus foi concedido pelo ministro Joaquim Barbosa: “Atendendo recomendação técnica de meu advogado, eu permanecerei calado”. O deputado Rubens Bueno criticou a decisão do Supremo de conceder habeas corpus. ‘O que chama a atenção é o Supremo aceitar este tipo de pedido”.

Já o relator da CPI, deputado Odair Cunha afirmou que há escutas telefônicas feitas pela Polícia Federal que mostram que Jayme Rincón recebia influências de pessoas ligadas ao grupo do contraventor.

Perillo fora do horário
Um dos alvos da CPI do Cachoeira, o governador de Goiás, Marconi Perillo ficou de fora do primeiro dia do programa eleitoral gratuito na TV dos candidatos à Prefeitura de Goiânia. O governador apoia Jovair Arantes na disputa pela prefeitura. A presidente Dilma Rousseff foi citada como "parceira" no programa do PT, mas não apareceu no vídeo.

FHC e LULA
O primeiro dia de propaganda eleitoral obrigatória dos candidatos que disputam a prefeitura do Rio contou com a presença de dois ex-presidentes. Fernando Henrique Cardoso destacou o PSDB por ter lançado um candidato próprio na cidade e pediu votos para Otavio Leite. E Lula abriu o programa de Eduardo Paes, atual prefeito e candidato à reeleição pelo PMDB.

De volta...
A Advocacia-Geral da União vai assinar um acordo com o Grupo OK, do ex-senador Luiz Estevão, para recuperar mais de R$ 80 milhões. O valor é parte dos recursos desviados na construção do prédio do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo. O grupo vai devolver aos cofres públicos o montante desviado, além de imóveis. O acordo foi aprovado pelo Ministério Público e pelo Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo. A AGU considera que esse acordo vai permitir recuperação de recursos públicos desviados por corrupção .
Guerra: ministra dá mau exemplo

Petrobrás
O presidente do PSDB, Sérgio Guerra, revelou por meio de nota, considerar que a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, dá um "mau exemplo" ao pedir votos para João Paulo Cunha, candidato a prefeito de Osasco e réu no processo do mensalão. Já o PPS solicitou à Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara a realização de uma auditoria operacional na Petrobras pelo Tribunal de Contas da União. O líder do PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno, pede fiscalização da gestão da empresa entre janeiro de 2007 e junho de 2012.

Consulta sobre drogas
A Câmara dos Deputados vai submeter à consulta pública, o anteprojeto de lei que descriminaliza o porte de drogas e o plantio para consumo próprio. A proposta, elaborada por uma comissão de juristas, é deixar livre de imputação penal o plantio em casa e o porte de uma dose suficiente para dez dias de consumo. A medida valerá para qualquer tipo de drogas. No caso da maconha isso corresponde a 25 gramas, mesma quantidade especificada na lei de Portugal, na qual a comissão se inspirou.
Lewandowski aponta desvio de dinheiro público e condena réus

Com voto do revisor, STF avança no julgamento do mensalão, mas sem surpresas.

Lewandowski não fez um contraponto
O revisor do processo do mensalão, ministro Ricardo Lewandowski, votou ontem pela condenação de Henrique Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil, Marcos Valério, Cristiano Paz e Ramon Hollerbach. As razões alegadas: condenação do ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato e Marcos Valério, Cristiano Paz e Ramon Hollerbach por corrupção ativa e peculato (também duas vezes). Ele leu parte do seu voto sobre os réus mencionados no item 3 do voto do relator Joaquim Barbosa, ontem no STF. E deu sequência ao julgamento que se iniciou semana passada, mas já gerou discussões e expectativas. Se a campanha política no rádio e Tv começou ontem, as atenções maiores estão ainda no STF. E pela simples razão de que suas conclusões repercutirão no debate e estratégias políticas e talvez até nesses espaços polìticos...

Dados
O ministro Lewandowski, apesar de ter declarado que iria fazer um contraponto ao voto de Joaquim Barbosa, praticamente endossou as condenações propostas pelo relator. Ele procurou demonstrar que Henrique Pizzolato não explicou de forma convincente o recebimento de R$ 326 mil em dinheiro oriundos da DNA Propaganda. De acordo com a denúncia da Procuradoria Geral da República, Pizzolato teria recebido a vantagem em troca de uma antecipação do fundo Visanet - do Banco do Brasil - à empresa de Valério, sem comprovação de serviços prestados. A rigor, o ministro Ricardo Lewandowski, revisor do processo do mensalão, acompanhou o voto do relator Joaquim Barbosa. Votou pela condenação do ex-diretor do banco por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Para Valério, acusado de ser o operador do mensalão, votou pela condenação por corrupção ativa e também por dois peculatos. E também propôs condenar Paz e Hollerbach por corrupção ativa e dois peculatos. Já o ex-secretário de comunicação do governo de Lula, Luiz Gushiken, foi absolvido.

Sob pressão
O grupo de Marcos Valério é acusado de obter troca de vantagens em contratos do Banco do Brasil com suas agências de publicidade. A Procuradoria Geral da República acusa o grupo de ter recebido antecipações ilegais de pagamentos de publicidade, por meio de autorização de Pizzolato, e ter se apropriado ilegalmente de recursos durante a execução do contrato com o Banco do Brasil, usando o chamado "bônus de volume" (prêmio de incentivo pago por veículos de comunicação a agências de publicidade para estimular a propaganda), com anuência de Pizzolato. E outro dado politicamente importante: a verba desviada teria abastecido o "valerioduto", usado para comprar apoio de parlamentares durante a primeira gestão do ex-presidente Lula, como denuncia a Procuradoria.

Caminhos
Henrique Pizzolato era diretor de marketing do Banco do Brasil na época do esquema: "Apesar de ter negado o recebimento de R$ 326,6 mil, afirmando que não tinha conhecimento do numerário, (...) e que havia feito apenas um 'favor' ao corréu Marcos Valério, a verdade é que a sua versão não condiz com as provas constantes nos autos", afirmou Lewandowski ontem, acusando-o de corrupção passiva. Diz o ministro, que o objetivo do pagamento ilícito a Pizzolato era a autorização de antecipação do pagamento à agência DNA.
Ele fez referência aos depoimentos de Pizzolato à Justiça para mostrar inconsistências sobre a entrega de um envelope com a quantia. Ao comentar os crimes de peculato, o ministro-revisor disse que as antecipações às empresas de Marcos Valério foram consideradas irregulares e, ao menos, três notas fiscais da agência foram falsificadas para justificar os valores. Já sobre o desvio de R$ 2,9 milhões, Lewandowski alegou que a agência DNA propaganda "extrapolou" o chamado bônus de volume, ao receber recursos de uma empresa não caracterizada como veículo de comunicação.

Para Lewandowski, Pizzolato tinha a "nítida intenção de dissimular a origem do dinheiro recebido. O modo pelo qual foi efetuado o saque que o beneficiou permite que se conclua pelo delito de branqueamento de capitais”, sustentou. E o advogado do réu, quando se manifestou, alegou não saber de nada a respeito do conteúdo dos envelopes, garantiu que os repasses a Valério eram legais e que a denúncia, portanto, era um "ilusionismo"...

Ministro Marco Aurélio: “se o colega Cezar Peluso antecipar sua posição sobre assuntos que ainda não foram abordados pelo ministro Joaquim Barbosa, ele se tornaria o relator da ação penal”

E Valério
O ministro Lewandowski apontou ainda irregularidades cometidas pelo grupo de publicitários, Marcos Valério, Cristiano Paz e Ramon Hollerbach, então donos das agências DNA Propaganda, Graffiti e SMP&B Comunicação. E disse que “para cada corrupção passiva sempre tem uma corrupção ativa”. E observou: “Ficou claro que Henrique Pizzolato recebeu em sua casa antecipações de pagamento a mando de Marcos Valério. Dessa maneira entendo que Marcos Valério cometeu crime de corrupção passiva. Voto pela sua condenação”.

Ao votar pela condenação de Valério, o revisor citou perícias que apontaram que muitas notas fiscais frias foram emitidas pela agência do publicitário para encobrir serviços que não foram prestados para o Banco do Brasil.

E outros
Quanto a Cristiano Paz, o ministro-revisor disse que o réu era "muito mais do que um 'singelo' cotista das agências, e agiu na condição de sócio administrador, assumindo a gerência conjunta dos negócios, incluindo a responsabilidade fiscal e contábil, além de ter sido avalizador de empréstimos junto ao Banco Rural".

Lewandowski citou depoimento de Cristiano Paz que confirmou ser sócio da DNA por meio da Graffiti Participações, que funcionava no mesmo endereço da SMP&B, outra agência de Marcos Valério.

E a defesa?
Os advogados de defesa se confessam surpresos: “Na realidade, recebemos o voto com perplexidade porque ele, Paz, não fazia parte da administração da agência, porque era de criação.” E o advogado Hermes Guerrero, que defende Ramon Hollerbach, também reagiu:“Estou absolutamente surpreso com o voto do revisor porque há provas contundentes de que ele, Hollerbach, não participava da agência DNA”.

Sintonia
Já o ministro revisor não foi, como muitos esperavam, um contraponto a Joaquim Barbosa. Lewandowski usou argumentos diferentes e anunciou que seguirá o voto fatiado. O relator pediu a condenação de Henrique Pizzolato pelos crimes de peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. E também votou pela condenação de Valério, Paz e Hollerbach pelos crimes de peculato e corrupção ativa.

Mello: "só se Peluso fosse o relator"

E Peluso?
O ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello, afirmou que é "impensável" um magistrado da Corte adiantar voto antes de o relator do processo se manifestar. Para ele se o colega Cezar Peluso antecipar sua posição sobre assuntos que ainda não foram abordados pelo ministro Joaquim Barbosa, ele se tornaria o relator da ação penal: "A ordem natural das coisas tem uma força muito grande. Você não pode inverter, porque gera insegurança. Não há nada que diga que integrante do tribunal não possa votar antes do relator, porque é impensável", ressaltou Marco Aurélio antes do início da sessão. Com a aposentadoria compulsória de Peluso no dia 3 de setembro, passou-se a cogitar no STF a possibilidade de o ministro antecipar a íntegra de seu voto assim que o presidente da Corte, Carlos Ayres Britto, lhe passar a palavra. Neste caso, como o Tribunal decidiu promover o voto fatiado do processo, Peluso acabaria adiantando pontos da ação penal que ainda não foram analisadas pelo relator. Mas Marco Aurélio disse que nunca soube de um caso em que um ministro tenha se antecipado ao voto ao relator.

Prévia do XXIV Festival da Lavoura de Calçado nesta sexta-feira




Principal evento do município, o Festival da Lavoura de Calçado, no Agreste Meridional, tem deixado curiosos os habitantes sobre a programação desta 24ª edição. Nas ruas, nos bate-papos e até em sites de redes sociais da internet, os calçadenses comentam e dão palpites sobre as atrações artísticas.

O Governo Municipal de Calçado, diante da animação, realizou pesquisas de opinião e agora, com a grade fechada, fará uma prévia do festival, em que serão divulgados os shows. Este primeiro evento será na próxima sexta-feira (24), das 18h às 22h, na Praça Valdemar Tinô de Medeiros. A Equipe Reboque Sem Noção tocará as principais músicas dos artistas escolhidos.

No final de setembro, entre os dias 28 e 30, o XXIV Festival da Lavoura terá shows, desfiles, feijoada, apresentações culturais, além de entrega de troféus aos principais produtores rurais.

A organização espera bater o recorde de público do ano passado, que foi de aproximadamente 35 mil pessoas, somando-se os festeiros das três noites de shows.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

SESC Garanhuns realiza mais um Café com Poesia

Gente, na última terça de agosto teremos nossa edição regular do Café com Poesia. Estão todos convidados!


Ação: Projeto Café com Poesia

Escritores convidados: Pedro Américo de Farias e Marcelo Mário de Melo
Painel Temático: Viagem ao Mundo de Graciliano Ramos
Participação especial do músico Leo Noronha
Período de realização: Dia 28 de agosto
Horário: A partir das 19h30
Público alvo: estudantes universitários, professores, poetas, prosadores, interessados em leitura e afins.
Local: Salão de eventos do Sesc .
Entrada franca!

Procuradora diz na CPI: braço financeiro de Cachoeira está ativo

por Carlos Fehlberg
E também revela que recebeu ameaças vindas de Anápolis, reduto de Cachoeira.


"É preciso sufocar organização"
A procuradora Léa Batista de Oliveira, que participou das investigações sobre Carlinhos Cachoeira e seu grupo, disse ontem à CPI que é preciso "sufocar" o braço financeiro do esquema, que continua ativo. Ela disse ter recebido ameaças por emails originados em Anápolis, reduto da família e do grupo de Cachoeira: "Enquanto não conseguirmos sufocar essa organização, em termos financeiros, ela vai continuar atuando, independentemente de o chefe estar preso ou não", disse ela à CPI que investiga as relações de Cachoeira com políticos e empresários.

E observou que a investigação ainda aguarda dados bancários pedidos a partir de quebras de sigilo para avançar na investigação sobre a atuação financeira do grupo e a suposta lavagem de dinheiro usando empresas fantasmas. A procuradora explicou aos parlamentares que a operação da PF teve de ser adiantada no início do ano, porque interceptações telefônicas indicaram que membros do grupo tinham detalhes do processo, incluindo o nome do juiz responsável.

E mais:
Léa afirmou que a organização teria se infiltrado também nas polícias civil, militar, rodoviária e federal no Estado de Goiás. Revela a procuradora, que a organização tem característica "mafiosa", explicitada pelo "silêncio orquestrado" das pessoas investigadas, que se mantenham caladas em depoimentos à Justiça e à CPI: "O silêncio é um direito de todos, mas o código de silêncio adotado nos depoimentos à CPI e à Justiça Federal é típico de organizações mafiosas, quando um membro de grupo, com seu silêncio, quer defender o grupo e ser leal ao chefe". Para ela "esse silêncio orquestrado é típico".

A procuradora reafirmou que as escutas telefônicas mostraram que integrantes da quadrilha haviam descoberto que estavam sendo investigados. Sabiam o nome da operação da PF e a Vara Federal responsável pelas investigações, e por isso foi preciso antecipar a deflagração da operação Monte Carlo. Ela fez ainda um relato da atuação do Ministério Público, lembrando que as investigações da Operação Monte Carlo começaram em Valparaíso de Goiás – cidade localizada no entorno do Distrito Federal. As primeiras irregularidades foram detectadas em 2006. Em 2008, foi deflagrada a Operação Vegas. A Operação Monte Carlo começou em 2010.

Álvaro Dias: “O esquema da contravenção é menor. Maior é o esquema de desvio do dinheiro público, através da empresa Delta, a grande operadora.”


CPI mais forte
O senador Álvaro Dias defendeu em Plenário a ampliação das investigações da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito do Cachoeira.

Lembrou que as apurações realizadas até o momento se restringiram apenas ao esquema de contravenção da quadrilha de Carlinhos Cachoeira, não tendo sido investigada pelo Ministério Público a parte mais importante da atividade da organização criminosa relativa ao desvio de recursos públicos: “A conclusão a que chego já, mesmo antes do encerramento desta CPI, é que o esquema da contravenção — jogo do bicho, bingos, caça-níqueis e site com jogos, no Brasil e no exterior é menor. Maior é o esquema de desvio do dinheiro público, através da empresa Delta, a grande operadora.”

Para Álvaro Dias, a existência já comprovada de repasses vultosos de verbas públicas, de mais de R$ 413 milhões, para a empresa Delta e desta para as contas bancárias de mais de 18 empresas “laranjas”, é um fato importante que precisa ser conhecido com profundidade. Isso, assinalou o senador, ocultar a transferência de dinheiro ilegal a outros integrantes da quadrilha ainda desconhecidos. Em seu pronunciamento, ele informou que apresentou requerimentos à CPI solicitando a quebra do sigilo fiscal e bancário de mais de 12 das empresas “laranjas” que receberam transferências da Delta.

Estratégia
Enquanto isso, os integrantes da CPI do Cachoeira continuam a argumentar que as investigações devem se concentrar, a partir de agora, nas atividades ilícitas da empresa Delta em todo o país. A reivindicação foi reafirmada, após reunião da comissão, pelo senador Randolfe Rodrigues: “Essa organização criminosa não se limita a Carlinhos Cachoeira nem a Goiás. É uma holding nacional de corrupção que tem como cabeça os negócios da Delta”.

E ainda destacou a informação de que os repasses a empresas fantasmas somariam cerca de R$ 400 milhões: “A CPI tem de ter a coragem de cruzar os dados da Delta, das empresas laranjas e daqueles que foram beneficiados pela Delta “ insistiu o senador.

O deputado federal Miro Teixeira está entre os parlamentares para quem “nem tudo se restringe a Goiás e a Cachoeira”. E disse que, além das investigações com foco no esquema de Cachoeira, “pode surgir uma CPI da Delta dentro desta CPI”. Enquanto o deputado federal Rubens Bueno criticou o que chamou de “blindagem” em torno da Delta, o que estaria impedindo a ampliação das apurações.

Russomano: 4 pontos à frente


Russomanno com 31% lidera
Celso Russomanno aparece pela primeira vez na frente do tucano José Serra na disputa pela Prefeitura de São Paulo. A Pesquisa Datafolha mostra Russomanno com 31% das intenções de voto, 4 pontos a mais que Serra. Como a margem de erro da pesquisa é de 3 pontos para cima ou para baixo, eles continuam tecnicamente empatados. Mas diante da pesquisa anterior Russomanno cresceu 5 pontos. E Serra caiu 3. É a última pesquisa antes do horário eleitoral. E na mesma pesquisa há quatro candidatos tecnicamente empatados. O petista Fernando Haddad tem 8% das intenções de voto; Gabriel Chalita (PMDB) tem 6%; Soninha Francine (PPS), 5%; e Paulinho da Força (PDT), 4%.

E mais:
Celso Russomanno também aparece na liderança da pesquisa espontânea, aquela que indica a consolidação das intenções de votos nos candidatos. Quando o eleitor é convidado a responder em quem pretende votar sem a apresentação de um cartão com os nomes dos candidatos, Russomanno atinge 15%. Nessa simulação, Serra alcança 13%. A pesquisa também investigou a rejeição dos candidatos. Só 12% dizem que não votariam em Russomanno de jeito nenhum, mas a de Serra continua ascendente. Na pesquisa oscilou mais um ponto para cima e chegou a 38%.

E Lula age
Com dificuldade de arrecadar recursos para financiar sua campanha, o candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, levará seu principal cabo eleitoral, o ex-presidente Lula a jantares com as comunidades muçulmana e judaica nesta semana. A participação do ex-presidente foi confirmada após reunião com dirigentes petistas.
Se Peluso não votar, empate poderá favorecer réus do processo

Procurador-geral já avisa que não cabe recurso à decisão do plenário do Supremo.

Peluso fica só até 3 de setembro
O ministro-relator do processo do mensalão, Joaquim Barbosa, admitiu ontem sua preocupação com relação ao fato de o ministro Cezar Peluso não votar. Como são onze ministros no STF sem Peluso a corte ficaria com dez e seria possível um empate em cinco votos contra cinco votos: “Minha preocupação é com a possibilidade de dar empate porque já tivemos em um passado recente empates que geraram impasses”, afirmou Joaquim Barbosa. Ao completar 70 anos, Peluso tem que deixar o Supremo até o dia 3 de setembro e deve participar de, no máximo, mais cinco sessões. Barbosa disse que Peluso tem "legitimidade" para votar até a sua saída.

O cenário
O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Carlos Ayres Britto, é de opinião que uma possível antecipação do voto do ministro Cezar Peluso "fica a critério" do próprio Peluso, que se aposenta no próximo dia 3, ao completar 70 anos: "Não conversei com ele. Fica a critério dele", disse Britto. Pelo regimento, Peluso, que é o sétimo a votar, pode apresentar sua posição após o voto do revisor, ministro Ricardo Lewandowski, que começou a dar seu posicionamento sobre se condena ou absolve parte dos réus do mensalão. Não há unanimidade sobre se Peluso poderia, por exemplo, falar depois de Lewandowski e apresentar seu voto sobre os 37 réus e não apresentar o voto "fatiado".

Indagado a respeito, o presidente do STF afirmou: "Não vou responder essa pergunta. Tudo depende da interpretação do artigo 135 do regimento. Não estou vendo isso agora."

Procurador-geral
No intervalo da sessão do CNJ ontem, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, também voltou a falar sobre o tema. Ele defendeu que Cezar Peluso participe ao menos em "parte" da votação. Mais cedo, no começo da sessão, Gurgel já havia dito que seria "melhor" que o ministro participasse em parte do que em nada". "Vamos ver quando isso se verificar (empate). Eu espero que isso não aconteça. Eu já disse mais cedo que, na verdade, pode ser que o ministro Cezar Peluso participe ao menos de uma parte, da maneira que o jugalmento está ocorrendo, por segmentos. Seria bom porque, como os demais ministros, está preparado. Estudou o processo e, seja em qual sentido for o voto, não deveríamos desperdiçar", disse Gurgel.
Sobre se o voto do ministro apenas para parte dos réus poderia trazer prejuízos aos acusados, o procurador afirmou não ver impedimento para o voto parcial de Peluso. "Não vejo impedimento para que isso aconteça, se não for possível ele participar da inteireza do julgamento." Em petição entregue ao STF, advogados dos réus disseram que o fatiamento do julgamento poderia ser prejudicial.

Joaquim Barbosa: “Minha preocupação é com a possibilidade de dar empate porque já tivemos em um passado recente empates que geraram impasses”


Sem recurso
O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, entende que não cabem recursos a qualquer decisão dos ministros do STF. Esse é o entendimento do Ministério Público. O procurador tirou dúvidas ao ser questionado sobre recursos que os possíveis condenados no mensalão possam lançar mão. Para Gurgel, mesmo que o condenado consiga quatro votos pela absolvição, não há chance de recurso: “ Não cabe recurso. Não é admissível recursos à decisão do plenário do Supremo Tribunal Federal. Não há previsão regimental. A decisão será definitiva”, disse Roberto Gurgel

FGV
Mesmo que peça para antecipar seu voto no julgamento do mensalão, a participação do ministro Cezar Peluso até o final do processo em discussão no Supremo Tribunal Federal seria praticamente impossível. Na opinião de especialistas da Fundação Getúlio Vargas, se o plenário seguir o ritmo atual de votação, Peluso, que se aposenta compulsoriamente no próximo dia 3 de setembro, quando completa 70 anos, não terá a oportunidade de opinar sobre a aplicação das penas dos que forem condenados: “O relator Joaquim Barbosa gastou dois dias para votar dois itens do processo. Nesse ritmo, a semana acabaria com o voto do revisor Lewandowski. Mesmo que cada ministro leve apenas um dia para votar, é improvável que ele participe” diz Tânia Rangel, professora da FGV.

Gurgel: "recurso é descabido"


Recurso?
O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, considerou "descabido" os advogados dos réus do mensalão entrarem com recurso à Corte Interamericana de Direitos Humanos contra eventual condenação de seus clientes. A possibilidade de recurso ao tribunal internacional foi aventada pelo próprio revisor do processo do mensalão, Ricardo Lewandowski, no início. A declaração ocorreu quando o ministro foi voto vencido na decisão do STF de julgar na corte todos os réus do mensalão. Na ocasião, Lewandowski e o ministro Marco Aurélio Mello foram os únicos a defender o desmembramento do processo. Para o procurador-geral da República, o STF não cerceou em nenhum momento o amplo direito de defesa dos réus. Para o procurador, é "descabido pedir intervenção da Corte Interamericana quando não há nenhum vício."