segunda-feira, 29 de março de 2010

Pesquisa fortalece lançamento oficial do candidato do PSDB


A pesquisa Datafolha indica nova posição do candidato tucano. E Lula atinge sua melhor avaliação
A pesquisa Datafolha mostrando o pré-candidato do PSDB à presidência, José Serra, nove pontos à frente da pré-candidata do PT, a ministra Dilma Rousseff, deve aumentar a expectativa em torno do seu lançamento oficial já definido. Os índices do Datafolha surgem ainda num momento estrategicamente importante para os tucanos que já valorizavam as recentes medidas tomadas pelo TSE diante de representações que ofereceu sobre a participação do Presidente na campanha. Serra abriu nove pontos de vantagem sobre Dilma Rousseff, segundo a Pesquisa Datafolha, num cenário com Ciro Gomes, realizada nos dias 25 e 26 deste mês. Ela mostra Serra com 36% e Dilma com 27%. Um mês atrás eles tinham 32% e 28% no mesmo cenário. Ciro aparece com 11% e Marina com 8%.
A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos o que demonstra que Serra teve um crescimento real, ainda que retornando ao patamar de dezembro. E um dado importante: quando o Datafolha tira Ciro Gomes da lista, Serra vai a 40% contra 30% de Dilma, a diferença passa de nove para a dez pontos, variação que está dentro da margem de erro.
Para os tucanos, a recente definição de Serra e a expectativa em torno de seu lançamento oficial, agora fortalecido, vão ajudar no clima do ato partidário
Datafolha indica nova posição do candidato tucano. E Lula atinge sua melhor avaliação
A pesquisa Datafolha mostrando o pré-candidato do PSDB à presidência, José Serra, nove pontos à frente da pré-candidata do PT, a ministra Dilma Rousseff, deve aumentar a expectativa em torno do seu lançamento oficial já definido. Os índices do Datafolha surgem ainda num momento estrategicamente importante para os tucanos que já valorizavam as recentes medidas tomadas pelo TSE diante de representações que ofereceu sobre a participação do Presidente na campanha. Serra abriu nove pontos de vantagem sobre Dilma Rousseff, segundo a Pesquisa Datafolha, num cenário com Ciro Gomes, realizada nos dias 25 e 26 deste mês. Ela mostra Serra com 36% e Dilma com 27%. Um mês atrás eles tinham 32% e 28% no mesmo cenário. Ciro aparece com 11% e Marina com 8%.
Presidente Lula e o governador de São Paulo, José Serra/Foto: Gilberto Marques
A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos o que demonstra que Serra teve um crescimento real, ainda que retornando ao patamar de dezembro. E um dado importante: quando o Datafolha tira Ciro Gomes da lista, Serra vai a 40% contra 30% de Dilma, a diferença passa de nove para a dez pontos, variação que está dentro da margem de erro.
Para os tucanos, a recente definição de Serra e a expectativa em torno de seu lançamento oficial, agora fortalecido, vão ajudar no clima do ato partidário.
Lula bate recorde
Mas há outro dado importante: a mesma pesquisa mostra que o presidente Lula atingiu a sua melhor avaliação desde que assumiu o cargo, em janeiro de 2003: 76% da população consideram seu governo ótimo ou bom. Trata-se de um recorde para um presidente desde que o Datafolha iniciou o levantamento, em 1990. A pesquisa ouviu 4.158 pessoas em 168 cidades em todas as regiões do país. O número de registro no TSE é 6.617/2010.
De acordo com o instituto de pesquisas, a popularidade de Lula cresceu entre as famílias com renda superior a dez salários mínimos (R$ 5,1 mil) e avançou entre idosos com mais de 60 anos, mulheres e brasileiros com ensino superior.
Pré-Sal
Mantido o regime de urgência para os projetos do marco regulatório do pré-sal no Senado, os seus integrantes têm prazo para apresentar suas emendas aos textos. O vice-líder do PSDB, e do bloco da minoria, senador Álvaro Dias admite que a decisão ainda está sendo estudada. “Primeiro estamos analisando a matéria do ponto de vista da constitucionalidade. A Constituição não pode ser desrespeitada, então nós temos que ter esse cuidado acima de tudo”.
Para ele, uma das soluções que pode ser apoiada pelo partido para o fim da disputa dos royalties, no projeto de partilha, é a emenda apresentada pelo senador Pedro Simon. “Essa ideia é boa desde que seja constitucional e que não seja apenas eventual, mas seja uma proposta definitiva”. A emenda estabelece basicamente que a União pague aos estados produtores de petróleo as perdas que eles tiverem com a nova divisão dos royalties. Mas o senador Francisco Dornelles observa que uma emenda para reverter o prejuízo causado pela Emenda Ibsen ao Rio de Janeiro ainda está “em estudo”.
Se mantido o regime de urgência constitucional para os projetos do marco regulatório do pré-sal, os senadores têm pouco tempo para apresentar suas emendas aos textos.

Carlos Fehlberg em artigo no Política para Políticos

domingo, 28 de março de 2010

Ex Ministra Marina Silva vem a Garanhuns

No dia 31 de março a talentosa Marina Silva, ex-ministra do Meio Ambiente e atual pré-candidata à Presidência da República pelo (PV), virá à Pernambuco, visitará as cidades de Garanhuns e Caruaru.


A Marina Silva , sempre chamou a atenção pelo contraste entre sua personalidade forte e determinada e sua aparência frágil. Marina Silva foi a vencedora do Prêmio Chico Mendes de Meio Ambiente, na categoria "Liderança Individual", por suas atividades em defesa da Amazônia ao longo dos anos.


Em Garanhuns ministrará palestra no Colégio Quinze de Novembro; onde também plantará uma arvore, com seu lema e tema; A defesa da natureza e do meio ambiente. Logo após o evento seguirá para Caruaru, no dia 1º de abril (apesar de ser o dia da mentira é verdade....rssss), seguindo a mesma programação com uma palestra promovida pela Faculdade do Vale do Ipojuca – FAVIP, que viabilizou a sua vinda.
Um pouco da biografia da ex ministra
Marina Silva é um grande exemplo de luta , garra e esperança em defesa da natureza.
Marina nasceu na cidade de Breu Velho, no Seringal Bagaço, a 70 quilômetros de Rio Branco. Mais velha de oito irmãos, cortou seringa e plantou roçado para ajudar nas despesas da família. Órfã de mãe aos 15 anos, passou a trabalhar como empregada doméstica. Sonhando tornar-se freira, Marina só aprendeu a ler e escrever no ano seguinte, quando passou a frequentar as aulas do Mobral.
Depois de fazer supletivo do 1º e 2º graus, já grávida da primeira filha, entrou na faculdade de História. Um ano depois, nasceu o segundo filho, Danilo.
Foi na universidade que Marina Silva descobriu o marxismo. Passou a integrar grupos de oposição ao regime militar e frequentar as reuniões do movimento sindical dos professores.
Em 1984, junto com Chico Mendes, Marina fundou a CUT no Acre. No ano seguinte, filiou-se ao PT, e em 86 lançou-se candidata a deputada federal.
Ficou entre os 5 candidatos mais votados, mas o PT não alcançou o quociente eleitoral e ficou sem a vaga para a Câmara. Nas eleições municipais de 88, Marina foi a vereadora mais votada em Rio Branco.
Seu mandato como vereadora foi marcado por polêmicas. Marina começou a devolver o dinheiro das gratificações, auxílio-moradia, e outras mordomias que os demais vereadores recebiam sem questionamento. Entrou com processo na justiça exigindo que todos fizessem o mesmo, mostrou nos jornais e na televisão o valor dos salários pagos aos vereadores, que a maioria da população desconhecia.
Em 1990 candidatou-se a deputada estadual. Obteve novamente a maior votação.Apesar de ter ficado mais de uma ano afastada da Assembléia por problemas de saúde - uma contaminação por metais pesados - o desempenho da deputada chama a atenção: campeã de projetos, foi escolhida a melhor parlamentar por uma pesquisa da Universidade do Acre.
Só depois do nascimento de sua filha caçula, Mayara, em meados de 1992, Marina pôde iniciar o tratamento contra a contaminação. Em seguida, começou a campanha para o Senado. O reconhecimento veio através de projetos como o de regulamentação do acesso aos recursos da biodiversidade, e outros, sempre ligados ao meio-ambiente e à cidadania.
Prêmio

Semana Santa em Garanhuns terá Festival Classico




O I Festival de Musica Clássica e Arte Sacra acontecerá durante a Semana Santa em Garanhuns. Este momento tem tudo haver com o clima Pascoal. Mais um festival em Garanhuns para consolidar o titulo de cidade dos festivais, a qualidade do evento é muito boa .

Segue abaixo a programação do evento

PROGRAMAÇÃO -

Mostra de Arte Sacra - De 1 a 4 de abril – Garanhuns (PE)

Locais:

Galeria Mãos da Terra (escultura em madeira e argila)

Galeria Kadichari (artes plásticas)

Casa do Artesão de Garanhuns (artesanato religioso)
Curadora: Ielma Lucena
Dia 1/4 - 15 hs Abertura Simultânea das Mostras de Arte Sacra (e artesanato religioso)

As Exposições ficarão abertas ao público diariamente, nos seguintes horários:

Dia: 01/04: das 15 às 19 hs

Dias : 02, 03 e 04/04: das 09 às 19 hs

Locais:

Galeria Mãos da Terra (escultura em madeira, argila e peças de decoração)Rua Ildefonso Lopes, 590 – Heliópolis (Referência: no sentido cidade-subúrbio, indo pela Av. Rui Barbosa, é a primeira entrada após o Hotel Tavares Correia).

Galeria Kadichari (artes plásticas)Av. Simôa Gomes, 701 – Heliópolis (Referência: no sentido cidade-subúrbio, indo pela Av. Rui Barbosa, é a segunda entrada após o Hotel Tavares Correia).

Casa do Artesão de Garanhuns (artesanato religioso)Rua Dantas Barreto, Centro (próximo ao Centro Cultural).

Mostra de Música Clássica

Local: Centro Cultural de Garanhuns

Curador: José Renato Accioly (do Conservatório Pernambucano de Música).

Dia : 01/04/2010

16 hs - Abertura da Mostra de Música Clássica

17 hs : Apresentação: SAGRAMA

21 hs : Apresentação: Orquestra Sinfônica Jovem do Conservatório Pernambucano de Música e Coro Contracantos

Dia : 02/04/2010

17 hs : Apresentação: Quarteto ENCORE

21 hs : Apresentação: Duo Casado

Dia : 03/04/2010

17 hs : Apresentação: Camerata Pernambuco

21 hs : Apresentação: Orquestra Retratos do Nordeste

terça-feira, 23 de março de 2010

Garanhuns pode virar a Las Vegas brasileira

Segundo matéria publicada no Jornal a Folha de São Paulo, assinado por Fernanda Odilla, a cidade de Garanhuns poderá receber mais um titulo.

" O projeto que libera os jogos de azar no país está prestes a ganhar uma emenda para transformar o interior nordestino em Las Vegas.
O deputado Silvio Costa (PMN-PE) quer incluir cassinos no projeto de legalização do jogo. "Assim como Las Vegas foi construída no meio do deserto, o Nordeste pode ganhar a sua Las Vegas", diz ele, que sugere Garanhuns (PE), terra do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para ser a capital do jogo no Brasil.
Silvio Costa, que ainda prepara a emenda e busca apoio no Congresso, não é o único defensor da volta dos cassinos. O relator do projeto, deputado Régis de Oliveira (PSC-SP), diz ser a favor da emenda e está disposto a incluí-la se houver consenso na Câmara."Os cassinos constavam na proposta original, mas foram retirados para minimizar os confrontos. Há muita gente que é contra", diz Oliveira, ponderando que cassinos têm poder de revitalizar muitas cidades do interior do país.
Um dos porta-vozes da legalização é o empresário Marco Aurélio Lage, da Confederação Nacional do Turismo. Herdeiro de um dos mais luxuosos cassinos brasileiros, o Hotel Brasil, em São Lourenço (MG), ele defende a liberação do jogo para revitalizar estâncias hidrominerais de São Paulo e Minas.
Desde 1946, quando os jogos foram proibidos pelo então presidente Eurico Gaspar Dutra, os hotéis que sobreviveram sem cassinos perderam prestígio e turistas. "De imediato, pelo menos 50 hotéis estão preparados para voltar a operar e gerar ao menos 200 mil empregos diretos e indiretos", diz Lage. Ele pretende retomar as conversas e o trabalho pela liberação dos cassinos após a aprovação dos projetos sobre o pré-sal no Congresso."

quinta-feira, 18 de março de 2010

Aprovação do PNC na CCJC



Prioridade da II CNC, Plano Nacional de Cultura é aprovado na Câmara dos Deputados

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCCJ), da Câmara dos Deputados, aprovou na tarde desta terça-feira, 16 de março, o Projeto de Lei nº 6.835/2006, que aprova o Plano Nacional de Cultura (PNC). O texto prevê diretrizes, objetivos e ações na área da Cultura para a União, os estados e os municípios, tornando a política cultural uma política de Estado. Essa é a primeira vez que o país consolida um planejamento de médio e longo prazo para esse setor. São dez anos, no total, com revisão a cada quatro. A aprovação é definitiva na Casa legislativa e a proposta vai, agora, para o Senado Federal.

Conheça as cinco diretrizes do Plano Nacional de Cultura:

1. Fortalecer a ação do estado no planejamento e na execução das políticas culturais, intensificar o planejamento de programas e ações voltadas ao campo cultural e consolidar a execução de políticas públicas para cultura;

2. Reconhecer e valorizar a diversidade e proteger e promover as artes e expressões culturais;

3. Universalizar o acesso dos brasileiros à arte e à cultura, qualificar ambientes e equipamentos culturais e permitir aos criadores o acesso às condições e meios de produção cultural;

4. Ampliar a participação da cultura no desenvolvimento socioeconômico sustentável, promover as condições necessárias para a consolidação da economia da cultura e induzir estratégias de sustentabilidade nos processos culturais; e

5. Estimular a organização de instâncias consultivas, construir mecanismos de participação da sociedade civil e ampliar o diálogo com os agentes culturais e criadores.

A aprovação do Plano Nacional de Cultura foi um das 32 prioridades da II Conferência Nacional de Cultura (II CNC), finalizada no domingo, 14 de março, em Brasília. Desde suas etapas preparatórias, o evento reuniu mais de 220 mil representantes de todo o país para elaborarem estratégias para a política cultural brasileira.

O texto do relator, deputado Emiliano José (PT-BA), passou em votação unânime da CCJC. Agora, depois do prazo regimental de cinco dias para recurso, segue para tramitação no Senado Federal, sem passar pelo plenário da Câmara dos Deputados. Se aprovado nas Comissões de Educação e Cultura e de Constituição, Justiça e Cidadania, segue direto para a sanção presidencial.

Logo após o final da sessão, o deputado Emiliano José declarou que esse é um ganho para os produtores, para os criadores, mas principalmente para o povo brasileiro. “Aqui, fazemos a política cultural ganhar corpo e financiamento efetivos”, disse.

Desdobramentos

Depois que o PNC entrar em vigor, estados e municípios poderão aderir ao Plano, comprometendo-se, assim, a elaborar seus planos locais. Para isso, contarão com apoio técnico e financeiro do Ministério da Cultura.



Maurício Dantas e deputado Emiliano José
“Com isso, iniciaremos uma nova etapa na política cultural brasileira, que é a responsabilização de todos os entes federativos e a participação concreta da sociedade. Outras políticas, como saúde e mais recentemente a assistência social, têm nos mostrado que, só quando ações e metas são compartilhadas, temos bons resultados”, afirma o coordenador-geral de Acompanhamento da Política Cultural do MinC, Maurício Dantas.

Um próximo passo será a criação do Sistema Nacional de Cultura (SNC), que estabelecerá mecanismos de gestão compartilhada entre os entes federados e a sociedade civil. A Proposta de Emenda Constitucional que institui o Sistema, a PEC 416/2005, também está em tramitação na Câmara dos Deputados.

No que diz respeito a financiamento, o Fundo Nacional da Cultura (FNC) será a principal fonte de recursos. O repasse para estados deverá ser feito, preferencialmente, para os fundos estaduais.

O texto aprovado nesta terça-feira na Câmara dos Deputados é resultado de um esforço da Comissão de Educação e Cultura e do Ministério da Cultura em ouvir a população. Ao longo de 2008, foram realizados 27 seminários nos estados e no Distrito Federal, com caráter de audiência pública, para aprimoramento do texto original do deputado Gilmar Machado (PT-MG). Participaram dos encontros mais de cinco mil pessoas.

Saiba mais sobre o Plano Nacional de Cultura: blogs.cultura.gov.br/pnc.

Leia, também, a seguinte notícia: Câmara aprova Plano Nacional de Cultura (Agência Câmara).

(Texto: Ismália Afonso, Ascom SPC/MinC)

quarta-feira, 17 de março de 2010

PSDB Realiza Seminário Político em Garanhuns


O Partido da Social Democracia Brasileira - PSDB, mais conhecido como o Partido dos Tucanos, realizou em Garanhuns o Seminário Comunicar 45, junto com o Instituto Teotônio Vilela. O encontro foi mediado pelo professor e advogado André Regis de Carvalho, Presidente do ITV. O Instituto Teotônio Vilela é o orgão de estudos e formação política ligados ao PSDB, que promove estudos, seminários, palestras e debates sobre a realidade nacional.
Em Garanhuns o coordenador do evento foi Dr Silvino de Andrade Duarte, ex prefeito do municipio e representante do PSDB-Garanhuns. Além de vários políticos representando as cidades de Palmerina, Bom Conselho, Correntes , lideranças das cidades de Caetés, Canhotinho,Quipapá e Lajedo. Presente também varias lideranças locais, além de simpatizantes e pessoas convidadas os filiados do PSDB de Garanhuns.
Registramos a presença do Jornal Sináculo, através da Senhora Celma Melo, Sr. Ivo Amaral, Presidente do PSDB de Garanhuns, Aurora Cristina ex primeira dama da cidade, o engenheiro e ex vereador João Inocêncio.

domingo, 14 de março de 2010

Massa retorna com vitória após 8 meses do acidente



Massa retorna após o acidente ha 8 meses. O brasileiro nos deixa cheio de orgulho com a sua garra e determinação, chegando em segundo lugar, após ficar parado por 8 meses, depois do acidente na ultima temporada,volta a subir no pódio.Uma dobradinha incontestável com Fernando Alonso, abre a marcação de pontos na primeira corrida do ano, Massa volta a sentir o sabor de subir no pódio,segundo lugar deixando o inglês Lewis Hamilton em terceiro.

Confira o resultado do GP do Bahrein:
1 - Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - 49 voltas em 1h39m20s396
2 - Felipe Massa (BRA/Ferrari) - a 16s099
3 - Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) - a 23s182
4 - Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) - a 38s713
5 - Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - a 40s263
6 - Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - a 44s180
7 - Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) - a 45s260
8 - Mark Webber (AUS/RBR-Renault) - a 46s308
9 - Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India-Mercedes) - a 53s089
10 - Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth) - a 1m02s400
11 - Robert Kubica (POL/Renault) - a 1m09s093
12 - Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) - a 1m22s958
13 - Jaime Alguersuari (ESP/STR-Ferrari) - a 1m32s656
14 - Nico Hulkenberg (ALE/Williams-Cosworth) - a 1 volta
15 - Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Cosworth) - a 1 volta
16 - Sebastien Buemi (SUI/STR-Ferrari) - a 3 voltas
17 - Jarno Trulli (ITA/Lotus-Cosworth) - a 3 voltas

Não completaram:
Pedro de la Rosa (ESP/Sauber-Ferrari) - a 19 voltas/mecânico
Bruno Senna (BRA/Hispania-Cosworth) - a 31 voltas/motor
Timo Glock (ALE/VRT-Cosworth) - a 32 voltas/hidráulico
Vitaly Petrov (RUS/Renault) - a 35 voltas/suspensão
Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) - a 37 voltas/mecânico
Lucas di Grassi (BRA/VRT-Cosworth) - a 46 voltas/hidráulico
Karun Chandhok (IND/Hispania-Cosworth) - a 47 voltas/acidente

Melhor volta:

Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - 1m58s287, na 45ª volta





Parabéns Recife 464 e Olinda 466 ano







Recife - Recife era uma pequena colônia de pescadores quando foi fundada, em 1537. Por ser uma cidade litorânea, logo foi construído um porto, utilizado por Olinda, outra cidade pernambucana, na época, capital da Capitania, para escoar a produção de açúcar.
Com o incremento da atividade portuária, Recife se desenvolveu rapidamente e sua prosperidade logo atraiu colonizadores, vindos de terras distantes como a Holanda.
Em 1630, os holandeses desembarcaram em Pernambuco, precisamente na praia conhecida como Pau Amarelo. Logo alcançaram Olinda e depois Recife. Permaneceram no estado por 24 anos, principalmente na capital, que foi a sede do domínio holandês.
Os holandeses foram liderados por João Maurício, o Conde de Nassau-Liegen, que, em 1637, deu início ao processo de urbanização e construção da "Mauritzstadt" também chamada de cidade Maurícia.
Maurício de Nassau assumiu o cargo de governador de 1637 a 1644. Neste período se preocupou com o embelezamento e modernização da cidade. Pavimentou ruas, drenou pântanos, construiu pontes, canais, estradas, escolas, um jardim botânico (o primeiro do Brasil) e um observatório astronômico. Transformou o que era um pequeno vilarejo num moderno centro urbano. E com o objetivo de investir em cultura, copiando o que vira nas cidades européias que visitou, importou missões artísticas e científicas para cidade, tornando-a pólo cultural do Nordeste.
Recife não foge da luta. Desde 1710
Palco de grandes revoluções, o Recife foi, durante as primeiras décadas do século 19, cenário digno de verdadeiros filmes de guerra, inspirados nas idéias liberais, tão difundidas pela Europa na época. A história da cidade, inclusive, está marcada por confrontos desde o momento em que o próspero povoado foi elevado à categoria de vila, em 1710. A partir daí, o Recife sempre esteve no front de batalha, lutando pela liberdade e pela autonomia de Pernambuco.
Conhecida como a Guerra dos Mascastes, a rixa entre o Recife e Olinda que acabou virando brigas de rua entre os mascates (os comerciantes do Recife) e os pés-rapados ou lisos (apelido da aristrocracia rural falida de Olinda) ficou cada vez mais acirrada depois que Portugal decidiu dar o merecido título ao ex-vilarejo de pescadores e reduto de comerciantes.
Com a movimentação do porto cada vez maior, o Recife caiu de vez nas graças de Portugal e o seu modelo mercantilista, passando a receber mais benefícios e atrair mais comerciantes. Não é para menos que logo depois da Independência do Brasil, a vila é elevada à cidade (1823) e, mais tarde,à capital de Pernambuco (1827).
No cenário nacional, o Recife se destacou como sede das três mais importantes revoluções libertárias da História do Brasil, que ocorreram no século 19: a Revolução Republicana,em 1817; a Confederação do Equador, em 1824; e a Revolução Praieira,em 1848. A primeira é considerada como o único dos movimentos colonias do Brasil que conseguiu passar da fase meramente conspiratória - ao contrário do que a conteceu com a Inconfidência Mineira (MG) e com a Revolta dos Alfaiates (BA).
A segunda foi um movimento de caráter separatista, que envolveu também o Ceará, a Paraíba e o Rio Grande do Norte. Nessa revolução - na qual aparece aquele que é considerado o maior mártir do Estado, o Frei Caneca -, o Recife sedia mais uma vez os principais acontecimentos. Já a terceira se destaca como o último movimento liberal e interno que aconteceu no 2º Reinado do Brasil, revelando heróis urbanos e marcos históricos da luta dos liberais contra os conservadores, como a rua da Praia.
Por tudo isso, o Recife talvez seja a cidade mais marcada e castigada do País, devido a sua ação libertária e constante de combate ao nepotismo. Uma lição para a História do Brasil. (J.M.)
Olinda


Olinda, desde o seu princípio, foi um presente. Doada em 1535 ao primeiro donatário da Capitania de Pernambuco, Duarte Coelho Pereira, a aldeia de 'Marim', hoje Patrimônio Natural e Cultural da Humanidade, completa 466 neste dia 12 de março com a responsabilidade de quem contribuiu em grande parte pela formação da nacionalidade brasileira.
A cidade foi o marco do início do Novo Mundo e berço da cultura brasileira. Seu pioneirismo está presente em fatos como o combate à escravidão e o surgimento do teatro no País. Primeira capital de Pernambuco, a 'Marim dos Caetés ou dos Tabajaras' vive do amor de seus moradores e da eterna luta para a preservação da cidade que já foi um museu.
Saques e incêndios. E Olinda enfrenta a irmã Recife
A destruição da cidade museu aconteceu em 15 de fevereiro de 1630, quando da invasão holandesa. Os invasores atracaram na Praia de Pau Amarelo e, no dia seguinte, marcharam até Olinda, guiados pelo traidor, Domingos Fernandes Calabar. Pegas de surpresa, as tropas portuguesas eram inferiores às holandesas. Durante um ano, Olinda foi depredada e saqueada, além de ter seus templos profanados. Em 25 de novembro de 1631, é que viria a destruição total, com a queima da cidade. De todo o incêndio, só conseguiram resistir a Igreja de São João dos Militares, a casa onde funcionava a Santa Casa de Misericórdia e o arquivo do Mosteiro de São Bento.
Após o incêndio, a cidade entra em decadência e o Recife é impulsionado. De reconstrução difícil, Olinda não conseguiu de volta o seu posto de capital, o que definiu a moradia dos portugueses em Recife dali para frente. Os olindenses, por sua vez, organizam um exército sob o comando de Cristóvão de Mendonça Arrais e partem contra os foros e regalias da nobreza no Recife.Após a guerra civil entre cléricos e escravos, contra mascates, o movimento culmina com o 10 de novembro de 1710. Nele, o sargento-mor Bernardo Vieira de Melo dá o primeiro brado de República. A causa de Olinda é perdida e o herói morre em um calabouço em Portugal. (M.H.S.)
Cacau e cana caiana foram aclimatados no Horto de Olinda
Com a economia baseada na cana-de-açúcar ameaçada, Olinda recebeu um dos primeiros hortos botânicos do País, fomentados pela Corte portuguesa como forma de impulsionar novas colheitas, além de auxíliar a medicina. Em 1811, Olinda passaria a contar com o Viveiro de Plantas, ou Real Viveiro de Plantas de Olinda. O nome seria mudado outras cinco vezes, até se tornar Horto Botânico em 1835, popularmente conhecido como Quintas do Rei e atual Sítio dos Manguinhos, no bairro do Bonsucesso.
O primeiro responsável pelos trabalhos no horto, reconhecido em planta como Horto D’EL REY, foi o francês Estevão Paulo Germain, em 1818. O horto recebeu uma grande variedade de plantas e mais de mil espécies entre 1826 e 1830. Além da importância ecológica e econômica, o lugar acabou por influenciar os hábitos alimentares no Estado, com o exemplo da fruta-pão do Taiti.
As plantas e sementes de especiarias vinham diretamente da Europa sofrer aclimatação no Horto, depois eram levadas para o cultivo. Lá, também foram aclimatados a caneleira do Ceilão, o cravo e a noz-moscada das Molucas, a pimenta de Malabar, o algodoeiro de Bourbon, a cana caiana, o cacaueiro, o gengibre, a baunilha dos Sertões e a salsa parrilha do Pará, muito usada para cura de males venéreos.

Religião e Carnaval se misturam na história da cidade
Os blocos carnavalescos de Olinda originaram-se dos presépios, pastoris e ranchos de reis e tinham o intuito de dar oportunidade às mulheres de participarem do carnaval de rua.
Estima-se que tenham surgido em 1915, após desfile pelas ruas de Olinda, levando consigo centenas de foliões. A idéia inicial era formar, antes de tudo, um grupo formado por rapazes e moças de um mesmo bairro. Na marcação do passo, o frevo-canção e a marcha-de-bloco, tocados por uma orquestra de pau e corda ou de frevo. No conjunto das fantasias, expressam um enredo muitas vezes ligado a um fato histórico.
Por tempos, os dirigentes carnavalescos de famosas troças de Olinda estiveram ligados às frentes de irmandades religiosas da cidade. Nos dias de Carnaval, primavam pela rivalidade, e nos dias de quarentena, uniam-se. Os preparativos eram os mesmos: o roteiro do desfile, a mesma banda de música e os mesmos dirigentes e acompanhantes. As diferenças ficavam por conta das túnicas e os hábitos, que substituíam as fantasias do carnaval; as alegorias tornavam-se andores; as marchas de bloco davam vez aos hinos sacros; e a festa pagã transformava-se em cristã.Olinda também pode ser chamada de a capital da Religião Católica. A partir da colonização e povoação iniciada por Duarte Coelho, a cidade recebeu inúmeras ordens, confrarias, associações religiosas que formaram as tradicionais procissões da época e ajudaram a manter firmemente o Estado de Portugal entre nativos e colonizados.

Recife e Olinda Festejam Seu Aniversario

Teatro Santa Izabel Mosteiro de São Bento




Inst-Ricardo-Brennand


Marco Zero-recife










Capela Dourada -Olinda Rua da Aurora-Recife














Convento de São Francisco Olinda







MAC -Olinda

Farol -Olinda Alto da Sé -Olinda





Dia Internacional da Mulher

A Comissão de Mulheres de Garanhuns, formada por Walderia Santana,Celma Melo, Eliane Silva, Luzia Cordeiro, Maria Soares, realizaram na casa Raimundo de Moraes em Garanhuns no ultimo dia 05 de março de 2010, um momento festivo, para celebrar o Dia Internacional da Mulher , com a participação de varias muheres repesentantes de classes, empresarias, profissionais liberais, SESC com a Melhor Idade.

O momento foi contemplado com a presença de varios homens, entre eles o Pastor Edson Dantas que falou sobre a importância da Mulher na Biblia e da sua fé e perseverança em Deus. O vereador Sinvaldo Albino também fez uma homenagem a Mulher. Como palestrantes; Irmã Dayse da Congregação do CMA falou da importância das conquista da mulher para o mundo moderno, Debora Bandeira Delegada da Delegacia da Mulher, mostrou as dificuldades e conquistas nas questões da violência contra a mulher. O momento de discussão deixou aberto para um possível seminário ainda neste semestre, para que seja avaliado quesitos como; a vinda do IML para Garanhuns , a Casa de Passagem para o fortalecimento da Delegacia da Mulher, entre outras questões sócio política de desenvolvimento.