terça-feira, 7 de agosto de 2012

Lula foi liberado para campanha e Serra diz que já estava previsto

PT se prepara para uma nova etapa de mobilização na campanha. Mas Dilma

previne que ficará fora da propaganda na tv no primeiro turno em São Paulo.

Exames mostraram que Lula está bem
O médico Roberto Kalil Filho liberou Lula, após novos exames, para participar da campanha política, diante dos bons resultados obtidos nos exames realizados no Hospital Sírio-Libanês ontem pela manhã. E com aval do médico: "O presidente está completamente liberado para suas atividades normais. Se quiser fazer campanha, também está liberado". Horas depois Lula almoçou com a presidente Dilma Rousseff, no escritório da Presidência da República, na avenida Paulista, em São Paulo. Dilma chegou por volta do meio-dia. A última vez que o ex-presidente tinha feito os exames foi no dia 14 de junho, quando a equipe médica verificou que o câncer não havia retornado. Na ocasião, ele ficou internado por uma noite devido a uma inflamação na garganta.

Dilma fora do inicio
Enquanto isso, porém, a presidente Dilma Rousseff já avisou a aliados do candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, que não participará da sua propaganda de TV no primeiro turno. Segundo dirigentes da campanha, ela afirmou que só aparecerá no programa eleitoral caso ocorra uma polarização clara entre o petista e José Serra. Como as pesquisas mostram Haddad muito atrás de Celso Russomanno e, num empate técnico com Gabriel Chalita, Dilma disse que sua entrada na disputa prejudicaria dois partidos que apoiam seu governo.

Pelas projeções do PT, Haddad poderá crescer com o horário gratuito, que vai ao ar no próximo dia 21, mas só teria fôlego, segundo previsões, para ultrapassar Russomanno a partir da metade de setembro.

E Serra
Enquanto isso o candidato do PSDB, José Serra, procura minimizar o efeito da entrada de Lula na campanha de Hadad: “Isso já estava previsto. Só espero que ele possa se recuperar fisicamente.” Na realidade o principal adversário de Serra nas pesquisas é Russomano e há uma interrogação sobre como se comportarão as pesquisas com o impulso de Lula na campanha de Hadad.

Russomano vai mudar de tática

Russomano ativo
A neutralidade da presidente Dilma, aliás, tem sido cobrada pela cúpula do PRB, que se reuniu com ela depois de Russomanno se aproximar de Serra. Ontem o candidato do PT (que também foi ministro de Dilma) disse não ter conversado com a ex-chefe sobre o tema, mas afirmou que não tentará pressioná-la a rever sua decisão: "Tenho que compreender a posição da presidente e me submeter aos seus desígnios. Compreendo perfeitamente a decisão que ela tomar e o grau de envolvimento que ela vai ter", disse Haddad. E acrescentou: "Vamos começar as gravações com o ex-presidente Lula. Os dois são igualmente populares, e o presidente está 100% disponível para a campanha", acrescentou. O publicitário João Santana planeja gravar as primeiras cenas com o ex-presidente nesta quarta-feira.

E o PRB dialoga
Mais agressivo do que o usual, porém, o candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, confirmou que se reunirá com lideranças adversárias - PT, PMDB e PSDB - para articular um verdadeiro tratado de paz para o decorrer da campanha. Alvejado por denúncias que classificou como mentirosas, ele prepara nos bastidores um contra golpe se o acordo não for respeitado: "Nós temos a informação de quem está por trás disso (das tentativas de derrubar sua candidatura com as últimas acusações). E se for necessário, vamos divulgar", disse durante caminhada pelo Largo 13 de Maio, na zona sul da capital.

Roberto Kalil Filho (médico): “O Presidente está completamente liberado "

Depoimento de Andressa
O presidente da CPI que investiga Carlos Cachoeira, senador Vital do Rêgo negou pedido para adiar o seu depoimento. Ele foi proposto pelo advogado José Gerardo Grossi. Alega não ter havido intimação pessoal e informa que sua cliente se dispõe a comparecer em nova data a ser posteriormente designada pelos parlamentares. De acordo com Vital do Rêgo, o depoimento de Andressa já havia sido marcado com antecedência e ela teve tempo para se preparar. Além disso, ele pretende manter a praxe de não aceitar adiamentos de convocações, a não ser em casos justificados e comprovados de doença, para não comprometer o andamento dos trabalhos da comissão. O advogado José Gerardo Grossi já informou que Andressa Mendonça deve usar o direito de permanecer calada diante dos senadores e deputados. A atual mulher de Cachoeira é acusada de ter participação no grupo criminoso e terá que explicar, entre outras coisas, acusações de que tentou chantagear o juiz federal Alderico Rocha Santos, da 11º Vara Federal de Goiânia, na tentativa de beneficiar Carlos Cachoeira.

Código
Os senadores Waldemir Moka e Rodrigo Rollemberg consideram possível a construção de acordo em torno da medida provisória do Código Florestal ainda na comissão mista que analisa a matéria. Um texto de consenso, acreditam eles, poderia ser aprovado sem alterações nos plenários da Câmara e do Senado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário e email que terei o maior prazer em entrar em contato com você.